Covid-19: Governo começa a pagar apoio extraordinário a bombeiros este mês

A Autoridade Nacional de Emergência e Proteção Civil transfere este mês a primeira tranche dos três milhões de euros de apoio extraordinário destinado a ajudar os bombeiros, no contexto da pandemia de covid-19, foi hoje anunciado.

O apoio extraordinário tem como destino as associações humanitárias de bombeiros voluntários, para ajudar as corporações a enfrentar as dificuldades financeiras criadas pela pandemia, afirma o Ministério da Administração Interna (MAI), em nota de imprensa.

A primeira tranche que será transferida este mês corresponde a 1,5 milhões de euros.

Os restantes 1,5 milhões de euros de apoio extraordinário serão pagos no mês de julho, acrescenta o MAI.

Os três milhões de euros serão distribuídos de acordo com a proporção do financiamento permanente atribuído” a cada associação humanitária, esclarece a tutela.

Segundo o ministério, o empenhamento das corporações no contexto da pandemia “tem contribuído para o agravamento da situação financeira” das associações humanitárias, através de despesas adicionais “com a aquisição de equipamentos de proteção individual e pelos cortes sofridos nas receitas oriundas do transporte de doentes”.

Em 2020, o Governo já tinha transferido para as corporações cerca de dois milhões de euros de apoio excecional e temporário devido à pandemia, recordou o MAI, salientando ainda que a tutela quase duplicou o valor da transferência anual para o Fundo de Proteção Social dos Bombeiros.

O Orçamento do Estado para 2021 prevê um financiamento de 28,6 milhões de euros para as corporações de bombeiros, ao qual acrescem os três milhões de euros de apoio extraordinário.

Marcelo confirma confinamento a partir da próxima semana: “Não há alternativa”

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, diz não haver alternativa ao confinamento geral face ao constante aumento do número de casos de infeção com o novo coronavírus.

Em relação ao futuro, penso que não há alternativa ao confinamento geral

Num debate onde participou, na RTP, o Presidente da República assumiu que o pacto de confiança com os portugueses no natal não funcionou.

“A decisão teve os efeitos que teve. Na altura falei de um pacto de confiança com os portugueses. Mas o pacto de confiança não funcionou. É um facto. Assumo essa responsabilidade sem problema nenhum, por mim, pelo Governo e por todos os que intervieram”, disse.

Nos próximos dias / horas deverão ser revelados detalhes deste novo confinamento.

 

EDP: Aumento do consumo de eletricidade leva a algumas interrupções na rede

A EDP Distribuição registou interrupções no fornecimento de eletricidade que atribuiu ao aumento do consumo devido à descida da temperatura e incremento do teletrabalho, situação que levou ao reforço das equipas, estando previstos reforços adicionais se tal for necessário.

Em resposta à Lusa, na sequência de notícias que davam conta de falhas no fornecimento de eletricidade, fonte oficial da EDP Distribuição afirmou ter verificado “que têm ocorrido algumas interrupções no fornecimento regular de energia, nos últimos dias”, estando estas relacionadas “com a descida abrupta das temperaturas, em particular nas redes de Baixa Tensão, nas zonas urbanas”.

A mesma fonte oficial admite que tais interrupções “também poderão estar a ser potenciadas por uma alteração do padrão de consumo da energia elétrica, resultante do incremento do teletrabalho”.

As zonas urbanas em que estas interrupções foram registadas não são detalhadas.

Questionada pela Lusa se esta situação se poderá repetir durante os próximos dias, tendo em conta que se mantém a previsão de temperaturas baixas, a EDP Distribuição assinala que a previsão meteorológica para os próximos dias “não configura uma regime de exceção” pelo que não espera “um agravamento da situação atual”.

Neste contexto, precisa a mesma fonte oficial, para além do reforço “já efetuado de equipas operacionais e de ‘Contact Center’, a EDP Distribuição mantêm-se atenta às ocorrências que possam surgir, procedendo a reforços adicionais de meios, se necessário, visando a célere resolução dos incidentes”.

Trofa: Estacionamento volta a ser pago para “garantir a fluidez dos lugares em frente ao comércio e serviços”

Desde o dia 1 de janeiro de 2021 que as zonas de estacionamento pago voltaram a ter cobrança obrigatória na Trofa.

A medida da gratuitidade dos lugares surgiu com o objetivo de ajudar o comércio local e serviços, setores fragilizados pela pandemia de Covid-19.

No entanto surgiu a necessidade de voltar a trazer a fluidez dos lugares, algo que deixou de acontecer a partir do momento em que o estacionamento passou para gratuito na cidade.

Governo já confirmou: Vem aí novo confinamento

Portugal vai avançar com um novo confinamento.

A informação, que já havia sido avançada por alguns partidos, tendo sido agora confirmada pelo governo, na pessoa da ministra Mariana Vieira da Silva.

Nas próximas horas / dias vão decorrer uma série de reuniões com parceiros sociais para serem discutidas que medidas devem fazer parte deste novo confinamento total.

Os partidos que já reuniram com o governo avançam que este confinamento será muito idêntico ao primeiro, no início da pandemia, com exceções para algumas áreas de negócio.

Portugal em aviso amarelo por causa do frio e na próxima semana temperaturas descem ainda mais

A maioria dos distritos do norte, centro e interior volta a registar mínimas negativas durante o dia de hoje: O distrito da Guarda é o que apresenta as temperaturas mais baixas (-4) e o Algarve é a região com as mínimas mais altas (2º em Faro e 4º em Sagres).

O continente e a Região Autónoma da Madeira encontram-se todo em aviso amarelo com exceção da região autónoma dos Açores, onde as temperaturas mínimas estão acima dos 9 graus em todas a ilhas.

No domingo as temperaturas sobem ligeiramente, mas o IPMA mantém o alerta amarelo para Portugal Continental. A Madeira deixa de estar sob aviso amarelo e passa a verde, tal como os Açores.

Já no que toca à temperatura média semanal “preveem-se valores abaixo do normal (-6 a -1°C) para todo o território na semana de 11/01 a 17/01”, refere o site do IPMA.

Na semana seguinte, as temperaturas mantêm-se nos valores habituais para a época e na última semana de janeiro sobem: “Preveem-se valores acima do normal para praticamente para todo o território (0 a +3°C) na semana de 25/01 a 31/01”.

Na Grande Lisboa o frio vai manter-se durante este fim-de-semana, com a previsão de uma pequena descida de temperatura, com períodos de céu muito nublado, apresentando-se pouco nublado até meio da tarde.

Durante o dia de hoje as temperaturas na Grande Lisboa variam entre os 3º e os 9º graus e no domingo entre os 2º e os 10º graus.

No Grande Porto também vai continuar o frio (hoje com mínima de -1.º e máxima de 9º graus), com períodos de céu muito nublado, apresentando-se pouco nublado até final da manhã.

O IPMA prevê tempo frio, com possibilidade de ocorrência de chuva, em especial no interior, que será de neve acima dos 400 metros de altitude.

Quanto ao estado do mar, o IMPA indica que haverá ondas de noroeste com dois a três metros, aumentando gradualmente para 2,5 a 3,5 metros a partir da tarde.

Most Popular Topics

Editor Picks