António Costa: “Na próxima semana, chegaremos a mil novos casos por dia”

O primeiro-ministro, numa comunicação ao país, disse que é esperado que Portugal volte a atingir mil casos diários de covid-19 na próxima semana.

“Estamos a sofrer um forte crescimento de novos casos diários. A manter-se esta tendência, na próxima semana chegaremos a mil novos casos por dia. Temos de travar o crescimento desta pandemia, mas não vamos poder parar o país como parámos em março. O controlo da pandemia depende do controlo pessoal de cada m de nós”, disse António Costa.

Covid-19 continua em jogo no arranque da primeira liga

Arranca esta sexta-feira a edição 2020/2021 da Primeira Liga. Tal como na fase final da época passada, a presente edição começa muito condicionada pela pandemia covid-19. Os estádios vão continuar sem público e há um protocolo muito rigoroso a ser seguido por todos os intervenientes.

Cabe ao FC Famalicão e ao SL Benfica darem o pontapé de saída na época desportiva, em jogo marcado para esta sexta-feira, às 19 horas, no Estádio Municipal. Há, ainda, às 21h15, um Vitória SC-Belenenses SAD.

As condicionantes ditadas pela covid-19 são muitas e o primeiro exemplo é o adiamento da partida entre Sporting e Gil Vicente, que estava marcada para sábado, em virtude do elevado número de infetados nos plantéis das duas equipas.

 

Covid-19: Gabinete de crise reúne de urgência esta sexta-feira

O gabinete de crise para o acompanhamento da evolução da covid-19 reúne, de urgência, esta sexta-feira, às 11h30, na residência oficial do primeiro-ministro, em São Bento.

A reunião, convocada por António Costa, surge na sequência do contínuo aumento de novos casos diários de infeção com o novo coronavírus. Do gabinete de crise, que se reuniu pela última vez a 29 de junho, em São Bento, fazem parte vários ministros.

Recorde-se que segundo o último relatório da Direção-Geral da Saúde, emitido esta quinta-feira, Portugal contabilizou mais 10 mortes relacionadas com a covid-19 e 770 novos casos de infeção.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 1.888 mortes e 66.396 casos de infeção.

Segundo a DGS cinco mortes foram registadas na região Norte, duas em Lisboa e Vale do Tejo, duas na região Centro e uma na região do Algarve.

Covid-19: Delegada de Saúde Pública defende 13 de Outubro em Fátima sem peregrinos

A delegada de Saúde Pública do Médio Tejo defendeu hoje que as cerimónias religiosas do 13 de Outubro no Santuário de Fátima, Ourém, decorram “sem a presença de peregrinos”, a exemplo do que sucedeu em 13 de Maio.

“A minha posição é a posição que a Igreja adotou para o 13 de Maio”, disse hoje à agência Lusa Maria dos Anjos Esperança, coordenadora da Unidade de Saúde Pública (USP) do Agrupamento de Centros de Saúde (ACES) do Médio Tejo, tendo defendido a realização das “cerimónias, sim, mas sem peregrinos” naquele município do distrito de Santarém.

“A Igreja que tão bem esteve no 13 de Maio, fazendo a transmissão das cerimónias para que todos as pudessem acompanhar, acho que agora em outubro, para bem da população, para bem de todos, poderia também adotar essa postura. Eu sou dessa opinião”, afirmou.

Maria dos Anjos Esperança observou que, “também o povo se portou muito bem no 13 de Maio, não se deslocou a Fátima, e compreendeu perfeitamente a situação que estávamos a viver”, aludindo à pandemia de covid-19.

“Com os aumentos do número de casos que tem havido ultimamente, não só no país como em muitos outros países da Europa, eu sou da opinião que cerimónias em Fátima sim, mas sem peregrinos”, insistiu.

O acesso ao Santuário de Fátima, no concelho de Ourém, foi bloqueado no domingo, dia 13 de setembro, quando o complexo religioso atingiu a lotação máxima permitida no contexto da pandemia de covid-19, disse a porta-voz da instituição.

A diretora-geral da saúde, Graça Freitas, disse na quarta-feira não parecer “expectável” que o santuário de Fátima tenha 55 mil pessoas nas cerimónias de 13 de outubro e disse que as autoridades nem foram contactadas sobre a matéria.

Em conferência de imprensa em Lisboa sobre a pandemia de covid-19, e a uma pergunta sobre como vê as dúvidas do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, sobre a possibilidade de estarem mais de 50.000 pessoas no Santuário em 13 de outubro, Graça Freitas respondeu que a Direção-Geral da Saúde (DGS) “não sabe” de onde surgiu este número.

“Não nos chegou nenhum pedido de parecer, nenhum plano de contingência, nenhuma planta do Santuário, e portanto não nos parece expectável que, estando nós em situação de contingência, com uma epidemia a subir, e apesar de (nem) a DGS ou qualquer outra autoridade de saúde ter sido consultada sobre o assunto, não nos parece expectável 55 mil pessoas no santuário”, disse Graça Freitas.

Ainda assim a responsável disse ser uma apreciação precoce, porque a DGS aguarda “poder colaborar” e “ajudar o Santuário” sendo que para isso é necessário haver conversações e um plano de contingência.

Na terça-feira o Presidente da República disse temer que a perceção da sociedade sobre o 13 de outubro, em Fátima, com 50 mil pessoas, seja menos positiva do que a das autoridades envolvidas, perante o aumento de infetados por covid-19.

A pandemia de covid-19 já provocou pelo menos 941.473 mortos e mais de 29,9 milhões de casos de infeção em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

Em Portugal, morreram 1.888 pessoas dos 66.396 casos de infeção confirmados, de acordo com o boletim mais recente da Direção-Geral da Saúde.

Most Popular Topics

Editor Picks