Temperaturas descem 10 graus

As temperaturas máximas vão descer a partir de hoje, entre 7 e 10 graus Celsius nas regiões do litoral Norte e Centro, segundo a meteorologista do Instituto Português do Mar e da Atmosfera, Maria João Frada.

“Durante a noite tivemos grande parte das regiões do interior Norte e Centro com aguaceiros por vezes fortes, acompanhados de trovoada e em alguns locais sob a forma de granizo. Hoje vamos começar o dia de uma forma completamente diferente dos últimos dias: com muita nebulosidade baixa, neblinas e nevoeiros a afetar todo o litoral incluindo a costa sul do Algarve”, disse.

De acordo com Maria João Frada, as temperaturas máximas vão sofrer a partir de hoje uma descida significativa a sul do litoral oeste do Cabo Mondego.

“A sul do litoral oeste do Cabo Mondego a nebulosidade pode não dissipar e é nestes locais que a decida da temperatura máxima é mais acentuada sendo de 7 a 10 graus e nas restantes regiões do continente de 4 e 5 graus”, disse.

Segundo a meteorologista do Instituto Português do mar e da Atmosfera (IPMA), esta situação vai manter-se nos próximos dias.

“Por um lado temos nebulosidade baixa, neblinas e nevoeiros a afetar especialmente o litoral oeste e nas regiões do Norte e Centro aguaceiros e condições favoráveis a trovoadas e granizo bem como rajadas. O vento vai continuar fraco, predominando nos próximos dias”, salientou.

De acordo com Maria João Frada, esta situação vai manter-se até à próxima quinta-feira.

“Na terça-feira não vamos ter alterações nas temperaturas, na quarta vamos ter uma descida da máxima de 2 e 4 graus na generalidade do território. A meio da semana os valores da temperatura máxima não vão ultrapassar os 28 graus em todo o território”, disse.

As temperaturas mínimas vão variar entre os 12 e os 15 graus, com exceção do Algarve, que estará entre os 18 e os 20 graus.

Segundo Maria João Frada, a instabilidade deve-se “à aproximação de um vale nos níveis altos da atmosfera com ar frio”.

Em Arouca dinheiro dos parquímetros é entregue a instituições da região

Olhados pelos automobilistas como uma praga endémica nos tempos que correm, os parquímetros são vistos pelas autarquias não só como uma forma de regular (ou até condicionar) o tráfego automóvel nas cidades e vilas, em especial nos seus centros urbanos, mas também como uma fonte de financiamento dos seus orçamentos.
Alugar o espaço público por breves minutos ou por dias inteiros passou a ser prática corrente em todos os municípios que alcançam com esse procedimento ganhos significativos.
Ora bem, Arouca não foge a essa regra, mas introduziu uma nuance inovadora e que seria interessante ver replicada por todo o País. A Câmara Municipal de Arouca investe todos os ganhos com o parqueamento no centro da vila nas IPSS do concelho.

Em 2017, o valor distribuído foram cerca de 27 mil euros, essencialmente por associações de cariz cultural, pois IPSS eram apenas quatro.

Portal Solidariedade

Fogo de grandes dimensões na Póvoa de Lanhoso obriga a evacuar parque radical

Em declarações à Lusa, fonte do CDOS de Braga explicou que a evacuação foi feita “por precaução” e que as pessoas, cujo número não soube precisar, foram deslocadas para o Centro Social de Serzedelo.

O incêndio estava pelas 11:15 a ser combatido por sete meios aéreos, 158 operacionais e 46 viaturas, sendo o que mais meios mobiliza atualmente em todo o país, segundo a página da Autoridade Nacional de Proteção Civil (Prociv), que aponta o distrito de Braga como que concentra mais homens e viaturas no combate a incêndios a nível nacional.

A mesma página indica que os 16 incêndios que lavravam em Portugal estão a ser combatidos por um total de 453 homens, 111 viaturas e 13 meios aéreos.

Pelas 10:30, o fogo junto à Diverlanhoso mobilizava cinco meios aéreos, 88 operacionais e 26 viaturas e, pelas 11:00 registou-se um reforço para 108 homens e 31 viaturas.

Poucos minutos mais tarde, pelas 11:10, a página da Prociv, o fogo estava a ser combatido por sete meios aéreos, 158 operacionais e 46 viaturas, de acordo com a mesma página, que apontava ainda o distrito de Braga como o que mais meios concentrava no combate a incêndios a nível nacional.

De acordo com a página da Prociv, pelas 11:15, o distrito de Braga tinha quatro incêndios, combatidos por um total de 208 homens, 57 viaturas e sete meios aéreos.

Em declarações à Lusa pela mesma hora, fonte do CDOS de Braga indicou que lavravam no distrito de Braga “quatro incêndios”, três dos quais na Póvoa de Lanhoso.

A mesma fonte indicou que o fogo que levou à evacuação do Diverlanhoso tinha “duas frentes ativas” em zona de “floresta” na freguesia Fonte Arcada e Oliveira, mas sem colocar em risco habitações ou o parque radical.

Professores voltam à greve em outubro

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) reafirmou que não abdica de um único dia do tempo de serviço congelado dos docentes e anunciou uma greve e uma manifestação nacional para outubro.

Na primeira conferência de imprensa após as férias, o secretário-geral da Fenprof, Mário Nogueira, explicou que a manifestação será a 05 de outubro, com a greve a acontecer em data a acordar com outras estruturas sindicais, com as quais se reúne já na sexta-feira.

A greve e manifestações, salientou Mário Nogueira, dependerão das respostas do Governo na reunião marcada para 07 de setembro.

Mas hoje Mário Nogueira já avisou: “Não estamos disponíveis para manobras dilatórias. Não vamos estar mais um ano em compromissos e textos. Já demos para esse peditório”.

Combustíveis voltam a ficar mais caros

Encher o depósito do carro vai ficar mais caro na próxima semana. Gasolina e gasóleo vão custar mais, a reboque da cotação do petróleo.

As contas do jornal online ECO apontam para um aumento de 1,346 euros para 1,38 euros por litro, no gasóleo. No caso da gasolina, o preço médio deve passar de 1,595 euros para 1,6 euros por cada litro.

Os preços finais variam conforme o posto de abastecimento.

Most Popular Topics

Editor Picks