Máscaras e vestuário hospitalar ajudam a recuperar queda das exportações

Segundo os últimos dados publicados pelo Instituto Nacional de Estatística, em maio, mantém-se o efeito da pandemia nas exportações portuguesas de têxteis e vestuário, com uma quebra de 32% face a mês homólogo de 2019.

Considerando o período de janeiro a maio, a queda ascende agora a cerca de 19%, incorporando a maioria dos produtos, com algumas exceções.

Por exemplo, as exportações de produtos relacionados com a proteção do COVID 19, em particular, as máscaras, incluídas nos artigos têxteis confecionados, registaram um aumento de quase 48 milhões de euros, bem como o vestuário de proteção, como por exemplo batas hospitalares, com um aumento de cerca de 5 milhões de euros.

Em termos de destinos, as exportações para a UE caíram cerca de 26%, enquanto que para países não comunitários (os quais estão neste momento a representar 1/4 das exportações) subiram 14%.

Neste momento, a Balança Comercial dos Têxteis e Vestuário tem um saldo de 324 milhões de euros e uma taxa de cobertura de 121%.

Hackers não terão tido acesso a dados dos utilizadores do Portal das Matrículas

O Centro Nacional de Cibersegurança, CNCS, confirmou, ao SAPO TEK, que o ataque informático que afetou o Portal das Matrículas decorreu entre as 20 e as 23 horas do dia 6 de julho.

O CNCS confirma que o Portal das Matrículas foi alvo de um ataque do tipo Negação de Serviço Distribuída (DDoS), que é feito através do envio massivo de pedidos de acesso aos servidores, “entupindo” o sistema e impedindo que os legítimos utilizadores pudessem utilizar o site.

O centro, que é responsável pela coordenação operacional e é a autoridade nacional especialista em matéria de cibersegurança junto das entidades do Estado, refere que “durante o ataque foram identificados vários momentos com picos de cerca de 1Gbps, que consequentemente tornaram o serviço indisponível”.

Para já, não há conhecimento nem suspeita de que possa ter sido comprometida a integridade ou confidencialidade dos sistemas informáticos do Portal das Matrículas, o que quer dizer que os hackers não terão tido acesso a dados dos utilizadores, das matrículas ou das escolas que tiverem sido registadas no sistema. No entanto, a investigação vai continuar, também para identificar a origem dos ataques.

Na sequência dos problemas, o Governo decidiu avançar com a renovação automática das matrículas para os 2.º, 3.º, 4.º, 6.º, 8.º, 9.º, 11.º e 12.º anos. A exceção é a transferência de estabelecimento de ensino, e as inscrições no 5º, 7º e 10º anos, que marcam mudanças de ciclo, que continuam a ser feitas no portal. As escolas têm, também, indicação para receber as matriculas dos alunos.

Equipamentos de diversão autorizados a trabalhar

Entrou em vigor, esta quarta-feira, o despacho do Governo que autoriza o funcionamento de equipamentos de diversão e similares mediante o cumprimento das regras sanitárias e de segurança aplicáveis.

O despacho determina que as instalações e os estabelecimentos podem funcionar desde que cumpram as orientações e instruções da Direção-Geral da Saúde, mas carece de parecer técnico especificamente elaborado para o efeito.

Esta determinação não se aplica às áreas em que seja declarada a situação de calamidade ou a de contingência, como é o caso da Área Metropolitana de Lisboa.

O funcionamento de equipamentos de diversão e similares é permitido desde que funcionem em local autorizado, nos termos legais, pela autarquia local e cumpram a demais legislação.

Entre as instalações e estabelecimentos encerrados, encontravam-se, por exemplo, as atividades recreativas, de lazer e diversão, onde se incluem os salões de dança ou de festa, os parques de diversões e parques recreativos e similares para crianças.

Maioria dos alunos com matrículas renovadas automaticamente

O Ministério da Educação anunciou, esta terça-feira, que estão dispensadas as renovações de matrículas para a maioria dos alunos.

As renovações vão ser processadas de forma automática, com exceção do 5.º, 7.º e 10.º anos.

De fora desta renovação automática ficam,ainda, os casos em que o aluno muda de escola.

Em nota de imprensa, o Ministério revela que o portal online das matrículas foi alvo de ataques informáticos que provocaram bloqueios.

Atualmente, e segundo o Ministério, já estão concluídas cerca de 70% das matrículas. Agora, com o sistema automático e consequente redução de fluxo ao portal, será mais fácil aceder ao processo de matrícula.

GNR atenta a comportamentos de risco na condução de motociclos

Durante uma semana, a começar já esta terça-feira, a GNR está a realizar ações de sensibilização e de fiscalização rodoviária para prevenir comportamentos de risco durante a condução de motociclos e ciclomotores nas vias com maior intensidade de tráfego.

O objetivo desta operação é inverter a tendência de aumento da sinistralidade e de contribuir para um ambiente rodoviário mais seguro. Da análise da sinistralidade envolvendo veículos de duas rodas a motor, nos anos 2018 e 2019, 1123 pessoas ficaram gravemente afetadas ou perderam a vida.

Considerando que os condutores de veículos de duas rodas a motor constituem um grupo de risco, pelas consequências dos acidentes serem normalmente graves, a GNR tem desenvolvido um conjunto de atividades pró-ativas e dissuasoras da sinistralidade rodoviária, complementadas com ações de fiscalização.

Durante a operação serão os militares da GNR estarão especialmente atentos, entre outros aspetos, ao uso do capacete; manobras perigosas; excesso de velocidade; condução sob o efeito do álcool e de substâncias psicotrópicas.

Most Popular Topics

Editor Picks