GNR recupera material furtado em Famalicão

A GNR recuperou material furtado que estava numa loja de luz e som e deteve dois presumíveis suspeitos.

O furto do material terá ocorrido no dia 9 de abril, numa armazém em Paredes, de onde foram levados aparelhos de luz e som.

Esta terça-feira, dia 21 de julho, a GNR identificou em Famalicão dois homens, um dos quais o proprietário da loja.

Foram recuperados quatro robots de luz e duas placas de equalizador. O material pertence a uma empresa de realização de espetáculos musicais.

Os factos foram remetidos ao Tribunal Judicial de Paredes.

Empresa nega responsabilidades

Responsáveis da loja, em declarações à Cidade Hoje, negam qualquer envolvimento no esquema do material furtado. Explicam que, sendo uma loja de reparação de material de luz e som, têm clientes de diversos pontos do país e não são, por isso, responsáveis pela origem do material que é entregue para reparação.

Famalicão: ACO Shoes investe 350 mil euros em energias limpas

A empresa de calçado ACO Shoes investiu 350 mil euros na instalação de um sistema de painéis solares que vão permitir uma poupança de 35% na fatura energética. A empresa tinha uma fatura anual na ordem dos 200 mil euros, vê reduzida a fatura em cerca de 70 mil euros.

«É um investimento que assume duas vertentes distintas: representa uma melhoria na eficiência financeira da empresa – com uma economia da fatura energética na ordem dos 35% – e representa uma aposta na energia limpa, que faz diminuir a pegada ecológica da ACO, sendo, portanto, uma decisão com consequências muito positivas para o meio ambiente», explica Armindo Costa, fundador e presidente da fábrica famalicense.

Recorde-se que a ACO Shoes, com sede em Mogege, é líder em Portugal na produção e exportação de calçado feminino de conforto. Fundada em 1975, a empresa emprega 400 pessoas, tendo duas unidades de apoio à produção de calçado suas participadas, a ECCO Conforto, no município de Ponte de Lima, e a ICCO, na ilha de S. Vicente, em Cabo Verde, que contam com 150 e 260 trabalhadores, respetivamente.

Anualmente, saem da fábrica de Vila Nova de Famalicão 1,5 milhões de pares de sapatos (mais de 5 mil pares por cada dia útil), que são vendidos em mais de 30 países dos vários continentes.

«Equipa do Bankinter junto das famílias e das empresas famalicenses»

Quando se estabeleceu em Portugal em 2016, o Bankinter definiu como prioridade a proximidade com os seus clientes, uma decisão estratégica que ganhou ainda mais relevância em tempos de pandemia de COVID-19.

O Bankinter, fundado em 1965 e que é hoje uma das Instituições Bancárias mais sólidas da Europa, foi um dos primeiros bancos a implementar um conjunto de medidas extraordinárias para apoiar as famílias e as empresas a mitigarem os efeitos económicos e financeiros provocados pela pandemia.

Para além do reforço imediato da capacidade de atendimento da Banca Telefónica, Digital e das equipas e meios tecnológicos, de forma a continuar a servir os clientes nas agências e remotamente, foram implementados mecanismos de moratórias dos empréstimos, condições para isenção da cobrança de comissões, para além da adesão a linhas de financiamento específicas COVID-19.

Neste período, foram ainda lançados diversos produtos e serviços inovadores, com destaque para a abertura de conta através de dispositivos móveis e, ainda, o canal do Bankinter no WhatsApp.

“De facto, mesmo no pico da pandemia, o Bankinter não parou, pois é nestes momentos que os nossos clientes mais precisam do nosso apoio, aconselhamento e soluções inovadoras e flexíveis, de forma a ultrapassarem esta situação tão complexa”, revela Angela Ferreira, diretora da agência do Bankinter em Famalicão, que está situada R. Adriano Pinto Basto, 195, junto à Camara Municipal, servindo clientes particulares e empresariais.

A responsável adianta que “a equipa do Bankinter está totalmente ao lado dos clientes famalicenses, nos bons e nos maus momentos. Os nossos gestores são muito experientes e conhecem bem as necessidades da região, pelo que estamos totalmente preparados para continuar a apoiar os particulares e empresas a retomarem os seus projetos e ambições”.

“Talvez tenha sido justamente devido a esta postura, transversal a todo o Banco, que o Bankinter foi eleito Melhor Banco pela ‘Escolha do Consumidor’ no início do ano, uma distinção que veio confirmar todo o empenho que temos em prestar serviços bancários de qualidade”, acrescenta.

De acordo com Ângela Ferreira, “os clientes reconhecem que a nossa proposta de valor é verdadeiramente diferenciadora e, se é certo que ainda não se ultrapassou esta crise sanitária e económica, também é tempo de olhar para o futuro e retomar planos e projetos que ficaram em suspenso”. Acrescentou ainda que “para isso, o Bankinter conta com uma oferta abrangente, que vai desde o Crédito Habitação Taxa Fixa Bankinter – a solução mais competitiva do mercado que permite aos clientes fixarem a taxa do seu crédito em valores historicamente baixos -, à Conta Mais Ordenado que, sem comissões e com uma remuneração dos depósitos de 5% no primeiro ano, foi reconhecida com o prémio ‘Cinco Estrelas’ pelo terceiro ano consecutivo”.

Respostas certas no momento certo para as empresas famalicenses

Dado o seu papel essencial na dinamização da economia e geração de emprego, as empresas famalicenses são essenciais para a recuperação económica do concelho, da região e do país, razão pela qual o segmento de Clientes de Negócios é uma das áreas que o Bankinter considera essencial apoiar, seja no seu financiamento ou no apoio à internacionalização e às exportações.

Para Ângela Ferreira, “a diversidade e inovação das soluções de financiamento Bankinter e o know-how e experiência da equipa de Famalicão fazem com que estejamos prontos para apoiar as nossas empresas a retomarem a sua trajetória de sucesso”.

O Bankinter “procura conhecer a fundo as necessidades e desafios dos empresários e gestores de forma a apresentar uma oferta de soluções integradas, com especial incidência em setores estruturantes para a região, nomeadamente a indústria, de quem estamos muito próximos”.

De facto, “desde a Gestão de Tesouraria ao apoio ao Negócio Internacional, passando pela Banca de Investimento, os gestores e empresários famalicenses sabem que encontram no Bankinter respostas certas no momento certo”, explica Angela Ferreira. Deu o exemplo do novo Crédito Multilinha, “que permite o acesso a diversas soluções de financiamento através de um único contrato e com um limite global de crédito” ou do novo serviço inovador de “Depósito de Cheques à Distância, que permite ao cliente empresa efetuar o depósito de Cheques, sem necessidade de deslocações diárias à agência”.

PPR Bankinter com uma rentabilidade de 16,5%, a mais alta do mercado

Numa época de juros baixos nos depósitos a prazo, o Bankinter disponibiliza aos seus clientes um portfolio de soluções de investimento diferenciadoras, beneficiando da elevada especialização dos seus Investment Advisors, dos serviços de Research e da sua Gestora de Ativos.

Neste contexto, Ângela Ferreira salienta que “o PPR Bankinter 75 PPR Classe B foi o mais rentável do mercado em 2019, alcançando o 1º lugar do ranking da Associação Portuguesa de Fundos de Investimento, Pensões e Patrimónios, com uma rentabilidade anual de 16,5% em 2019”.

Acrescentou, por outro lado, que “em Famalicão, contamos com Gestores Premier, que prestam um serviço personalizado, baseado no conhecimento das características dos nossos Clientes, o que nos permite disponibilizar as soluções mais adequadas para cada perfil de investimento e oferecer um aconselhamento financeiro de excelência”, refere Ângela Ferreira, “acrescentado que os clientes têm também à sua disposição o Centro de Private Banking do Porto e respetivos Private Bankers que se deslocam com regularidade se deslocam ao concelho”.

Relativamente a Soluções de Financiamento e Soluções de Investimento dirigidas a clientes Private e Premier, o Bankinter apresenta uma proposta de valor abrangente e muito competitiva, com especial destaque para os Serviços de Gestão de Patrimónios, via mandato ou Seguro Unit Link, e para a sua gama de fundos perfilados PPR, a que acresce uma oferta superior a 800 Fundos de Investimento, de mais de 20 sociedades gestoras internacionais.

Cobertura nacional e internacional

À equipa de Famalicão somam-se os serviços dos quatro Centros de Private Banking, quatro Centros dedicados a Médias Empresas, totalizando dez por todo o país, dois Centros Corporate em Lisboa e Porto e uma rede nacional composta por 81 agências. A nível internacional, o Bankinter está presente em Espanha, no Luxemburgo e na Irlanda.

Segundo a diretora da agência de Famalicão, “a marca Bankinter é cada vez mais reconhecida e recomendada em todo o país. Prova disso, é o facto de cada vez mais clientes escolherem trabalhar com o Bankinter”, conclui, deixando uma mensagem de confiança: “estivemos junto dos nossos clientes na tempestade e vamos continuar a estar na bonança”.

Conferência Cidade Hoje: “Impacto da Covid no Desporto”

O impacto da covid-19 no desporto é o tema do próximo debate promovido pela Cidade Hoje e com transmissão em direto no facebook. A iniciativa decorre esta sexta-feira, às 21 horas, na Sala Fogo, dos BV Famalicenses.

Mário Passos, vereador municipal responsável pelo desporto; Cristina Azevedo, vice-presidente do Famalicense Atlético Clube; Ângelo Lopes, presidente do Riba de Ave Hóquei Clube; Márcio Sousa, presidente da Associação de Futebol de Salão Amador; e Pedro Faia, diretor técnico do Grupo Desportivo de Natação, são os convidados.

Recorde-se que, no âmbito destas conferências, Cidade Hoje já abordou o impacto da Covid-19 no sistema de saúde e proteção civil; na indústria e economia; e no ensino.

Agora é no desporto, particularmente nas modalidades de pavilhão, pelo que convidamos representantes de algumas coletividades mais representativas do concelho. Haveria outras, mas o programa não comporta mais convidados.

Trata-se de um debate que serve para apresentar ideias, fazer um balanço do impacto da covid nesta atividade e levantar algumas perspetivas sobre o que pode ser a próxima época desportiva nas diferentes modalidades.

Louro: Jovem atropelada na berma da estrada

Uma jovem de 23 anos foi colhida por um automóvel, na manhã desta quarta-feira, no Louro.

O acidente aconteceu na Rua Ernesto Araújo Carvalho, cerca das 08h00.

Ao que a Cidade Hoje conseguiu apurar, o veículo envolvido no sinistro, por razões ainda desconhecidas, ter-se-á desviado de um obstáculo e foi embater na jovem que se encontrava na berma da estrada.

A vítima foi assistida no local pelos Bombeiros Voluntários Famalicenses e a VMER da unidade de Vila Nova de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Acabou por ser transportada para o hospital da cidade, com ferimentos que não inspiram cuidados de maior.

A GNR tomou conta da ocorrência.

Famalicão: Paulo Cunha fala sobre os caminhos da recuperação económica

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão participa em mais uma conferência promovida pelo Jornal de Notícias e Câmara Municipal do Porto, desta vez sobre “Os Caminhos da Recuperação Económica em Portugal: Hipóteses a Norte», que decorre no dia 24 de julho, no Teatro Municipal Rivoli, com transmissão em direto em www.jn.pt.

O programa abre pelas 9h45 com a participação do diretor do Jornal de Notícias, Domingos de Andrade. Segue-se o painel dedicado à “Dimensão institucional: ativos e constrangimentos com a participação de Fernando Freire de Sousa, Presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte. Pelas 11h30, arranca o painel dedicado à “Dimensão Territorial: Contrastes e desafios da coesão” com a presença dos presidentes ou representantes das oito entidades intermunicipais do Norte: Artur Nunes, presidente da C. M. de Miranda do Douro, Trás-os-Montes; Carlos Carvalho, presidente da C. M. de Tabuaço, Douro; Eduardo Vítor Rodrigues, presidente da C. M. de Vila Nova de Gaia, Área Metropolitana do Porto; Gonçalo Rocha, presidente da C. M. de Castelo de Paiva, Tâmega e Sousa; José Maria Costa, presidente da C. M. de Viana do Castelo, Alto Minho; Orlando Alves, presidente da C.M de Montalegre, Alto Tâmega; Raul Cunha, presidente da C. M. de Fafe, Ave e Ricardo Rio, presidente da C. M. de Braga, Cávado. A moderação está a cargo de Rafael Barbosa, Chefe de Redação do Jornal de Notícias.

O segundo painel é sobre “A Dimensão política: condicionantes e transformação” com Paulo Cunha. Pelas 15h15, decorre o painel “A Dimensão estratégica: Lógicas Económicas e Sociedade”, com António Ponte, diretor regional de Cultura do Norte, da área da Cultura; António Sousa Pereira, Reitor da Universidade do Porto, da área da Ciência; Filipe Araújo, vereador da Inovação e do Ambiente da C. M. Porto, da área do Ambiente; Guilherme Costa, economista, da área das Empresas e Luís Pedro Martins, presidente da Entidade Regional de Turismo do Porto e Norte de Portugal, Cultura. A moderação é de Pedro Araújo, editor de Economia do Jornal de Notícias.

O encerramento dos trabalhos acontece a partir das 17h45 com as participações de Rui Moreira, presidente da C.M. do Porto e Elisa Ferreira, Comissária Europeia.

Os organizadores justificam a organização da conferência com o facto de Portugal, a Europa e o Mundo estarem a atravessar uma crise sem precedentes. «Uma emergência de saúde pública, primeiro, e uma depressão económica e social, depois, que exigem soluções também elas fora do comum. A responsabilidade recai sobre todos, mas em particular sobre os decisores políticos. Numa Europa das regiões, cabe também aos que estão mais próximos do território e das suas gentes fazer o diagnóstico e desenhar soluções», dizem.

Most Popular Topics

Editor Picks