FAMALICÃO QUER CRIAR “ROTAS ARQUEOLÓGICAS”

A Câmara de Famalicão quer criar rotas turísticas “em torno” do património arqueológico do concelho, pelo que a classificação do Conjunto Arqueológico das Eiras assume «grande importância» para os objetivos da autarquia, disse o presidente. Em declarações à Lusa, a propósito da abertura do procedimento para classificação do Conjunto Arqueológico das Eiras, o presidente da Câmara, Paulo Cunha, apontou como prioridade da autarquia «preservar a possibilidade» de no futuro de estudar as «referências históricas» do território. «Não escondemos a ambição de criarmos rotas turísticas em torno do nosso património arqueológico. Achamos que a criação dessas rotas são, por ventura, a melhor forma de proteger o património porque, quanto mais visitável e visitado for, mais ajuda a sua proteção», referiu Paulo Cunha. O objetivo da autarquia esclareceu, não passa por «fechar a arqueologia em baús» mas sim abrir o património arqueológico.

FAMALICÃO É O CORAÇÃO DO CLUSTER TÊXTIL DE PORTUGAL

O Cluster Têxtil Tecnologia e Moda, foi reconhecido na quinta feira como um dos vinte clusters nacionais de competitividade, iniciativa do programa Interface. O CITEVE – Centro Tecnológico Têxtil e do Vestuário de Portugal, é a entidade pivô do Cluster Têxtil Tecnologia e Moda e conta com a cooperação institucional da Câmara Municipal, assim solidificando uma relação de parceria que se estende no tempo e em diversas vertentes, mas cujo objetivo assenta na promoção da competitividade e da inovação e no crescimento económico do concelho. O Cluster Têxtil Tecnologia e Moda reúne cerca de seis dezenas de empresas e entidades e assenta na promoção do desenvolvimento integrado e sustentável do agregado económico envolvendo têxteis, vestuário e têxteis de aplicação técnica. O programa Interface visa intensificar as ligações entre empresas, universidades, politécnicos e centros tecnológicos, promovendo maior e melhor aproximação entre conhecimento científico e a competitividade e inovação empresarial. Para este programa, durante os próximos seis anos, o Governo tem prevista uma dotação de 1,4 milhões de euros, entre fundos europeus e linhas de crédito.

ANTIGA CEGONHEIRA VAI SER TRANSFORMADA EM CAMPUS ESCOLAR

A Câmara Municipal de Famalicão e a Artave – Escola Profissional Artística do Vale do Ave, preparam-se para comprar o edifício da antiga Cegonheira, localizado no centro da cidade, junto às escolas D.Sancho I, Júlio Brandão e Camilo Castelo Branco.

O assunto foi levado esta quinta-feira a reunião de Câmara mas não chegou a ser aprovado a pedido do Partido Socialista que pretende reavaliar o projeto. O objetivo é fazer com que aquele espaço seja um Campus Escolar e sirva os alunos de instituições de ensino profissional.

Paulo Cunha quer partilha de competências para dinamizar a economia

“Gestão partilhada”, “processos de codecisão”, “coabitação de competências”. De acordo com Paulo Cunha estas seriam expressões-chave no léxico de uma descentralização de competências do poder central para os municípios no domínio da dinamização económica que traria bons resultados. Opinião expressa na quarta feira pelo presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão na conferência “Crescimento económico: vantagens comparativas de Portugal. Uma visão estratégica”, promovida pelo Círculo de Cultura Famalicense, entidade proprietária do Jornal Cidade Hoje e da Rádio Cidade Hoje. “Muito mais do que as câmaras municipais poderem ter mais competências nessa matéria, devia haver maior proximidade, estreitamento e partilha de competências entre as câmaras municipais e outras instâncias, como o IAPMEI, a AICEP, a ANI e o Ministério da Economia. O processo seria muito mais simples para as empresas”, justificou o edil famalicense. E exemplo dado, já clássico, é o do licenciamento industrial. O objetivo é ultrapassar a morosidade processual e burocrática que ainda se verifica e que é “absolutamente desnecessária”. Paulo Cunha, contudo, ressalva: “Não quero que as câmaras municipais absorvam os poderes destas entidades. O que eu quero é que se criem estruturas de gestão partilhada, estruturas de coabitação de competências, em que as diferentes entidades fazem parte do mesmo processo de decisão, tal como já acontece ao nível do PDM e da proteção civil.”
Argumento a favor da implementação desta ideia é a inexistência de aumento de despesa. “Porventura pode significar a quebra de alguns poderes instalados, mas como isso todos nós podemos bem. Oxalá aconteça brevemente.” A conferência teve ainda como oradores Ferraz da Costa, Presidente do Fórum para a Competitividade e ex-Presidente da Confederação da Indústria Portuguesa, Teresa Lehman, Professora Catedrática da Faculdade de Economia da Universidade do Porto, e João Miranda, Diretor Executivo da Frulact. A moderação coube a Mário Rui Silva, docente da Faculdade de Economia da Universidade do Porto.

RUA DA LIBERDADE VAI TER NOVA IMAGEM

Já estão a decorrer as obras de beneficiação da Rua da Liberdade, na União das freguesias de Vila Nova de Famalicão e Calendário. A intervenção, com um prazo de execução de cerca de seis meses, implica um investimento municipal de mais de 130 mil euros.
Com esta intervenção, a autarquia pretende dar uma nova imagem a esta artéria, renovando as infraestruturas de águas pluviais e de saneamento básico. Será ainda renovado o pavimento e os lancis em granito, com a construção de estacionamento e passeios. Haverá também nova sinalização.

CÂMARA REFORÇA TRANSPORTE RODOVIÁRIO GRATUITO PARA A NOITE DE CARNAVAL

Para que ninguém falte ao Carnaval de Famalicão e todos viajem em segurança, a autarquia reforça a sua aposta num plano de mobilidade com autocarros gratuitos a partir de diversos pontos do concelho.
Através de uma parceria com a CP – Comboios de Portugal, é possível viajar, por exemplo, desde Aveiro até Famalicão por apenas dois euros, ida e volta.
A autarquia tem preparados nove circuitos de transporte rodoviário gratuito. Os autocarros saem das freguesias de Joane, Pedome, Riba de Ave, Bairro, Ribeirão, Fradelos, Gondifelos, Arnoso Santa Eulália e Portela, pelas 21h00, 21h45 e 22h30 em direção à cidade, com paragem em frente à Escola D. Sancho I. Os autocarros regressam às freguesias pelas 2h00, 4h00 e 6h00.
No que diz respeito às viagens de comboio, os foliões podem adquirir o Bilhete Especial Carnaval por dois euros, ida e volta, válido nos comboios urbanos do Porto, incidindo sobre 82 estações, situadas ao longo de quatro linhas ferroviárias num radial de 60 km à volta do Porto, incluindo a Linha de Aveiro; Linha de Braga; Linha de Caíde/Marco de Canaveses e Linha de Guimarães. Válido para os dias 26 e 28 de fevereiro e para a noite de Carnaval, a 27 fevereiro (compra antecipada até ao dia 26).

Most Popular Topics

Editor Picks