MAU TEMPO: FAMALICÃO COM AVISO AMARELO DEVIDO À PREVISÃO PARA AS PRÓXIMAS HORAS

Cinco distritos do litoral norte de Portugal vão estar sob aviso amarelo devido à previsão de chuva forte, que poderá tornar-se em aguaceiros, no dia de Natal, segundo o Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

Os distritos de Braga – onde se insere Vila Nova de Famalicão -, Viana do Castelo, Porto, Vila Real e Aveiro estão sob aviso amarelo entre as 13h00 e as 18h00 desta segunda-feira (dia 25 de dezembro), devido à chuva por vezes forte, que poderá passar a aguaceiros.

 

CONCERTOS DE ANO NOVO NA CASA DAS ARTES

A Casa das Artes de Vila Nova de Famalicão vai entrar no novo ano ao som dos acordes de três das mais prestigiadas bandas filarmónicas do concelho – a Banda de Música de Riba de Ave, a Banda Marcial de Arnoso e a Banda de Famalicão.

Para o primeiro fim-de-semana de janeiro, o espaço cultural famalicense propõe o já tradicional e muito apreciado ciclo de concertos de ano novo.

O primeiro espetáculo está agendado para o dia 5, sexta-feira, com a atuação da Banda de Música de Riba de Ave, dirigida pelo maestro Hugo Ribeiro. Segue-se, no dia 6 de janeiro, a Banda Marcial de Arnoso, conduzida pelo maestro José Moura. Finaliza este ciclo de concertos a Banda de Famalicão, a cargo do maestro Fernando Marinho, com um concerto marcado para domingo, dia 7.

Todos os concertos vão ter lugar no grande auditório da Casa das Artes e têm entrada gratuita, sujeita à lotação da sala.

Os espetáculos de sexta e sábado, dias 5 e 6 de janeiro, têm início às 21h30. O concerto de domingo, dia 7, está marcado para as 16h30.

Os bilhetes para os três espetáculos podem ser levantados a partir da próxima terça-feira, 27 de dezembro, na bilheteira da Casa das Artes.

Mais informações em www.casadasartes.org.

“CEGONHEIRA” FOI COMPRADA

O município de Vila Nova de Famalicão oficializou, esta terça-feira, a compra do edifício da antiga empresa de metalomecânica Cegonheira, localizado na zona urbana da cidade, junto ao Parque 1.º de Maio.

A antiga fábrica de fundição foi adquirida em regime de co-propriedade pela Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, pela Artemave – entidade proprietária da Artave, e pelo Instituto de Formação Artística do Vale do Ave (Inforatis – entidade associada da Artave), com o objetivo de aí criar um Campus do Ensino Profissional e Artístico. As escrituras públicas foram celebradas na tarde de ontem, nos Paços do Concelho.

De acordo com os documentos, a autarquia adquiriu um total de 841 metros quadrados pelo valor de 217 mil euros. Por sua vez, a Artemave e Inforatis adquiriram cerca de 3500 metros quadrados pelo valor aproximado de 600 mil euros, repartidos em partes iguais pelas duas entidades.

Com esta medida, a Câmara Municipal de Famalicão que, tem vindo a apostar numa política de revalorização urbana, protegendo o património histórico citadino e apoiando investimentos de recuperação dos edifícios que fazem parte da memória famalicense, dá também um passo em frente na formação profissional e artística dos famalicenses.

As obras de construção do Campus do Ensino Profissional e Artístico de Vila Nova de Famalicão devem avançar para o terreno durante o segundo semestre de 2018. Composto por salas de aula, zonas administrativas e zonas de auditórios, a estrutura abre-se à cidade com um espaço de receção amplo e acessível que preserva vários elementos históricos do edifício relacionando-se com as pessoas e habitantes de Famalicão.

Entretanto, a autarquia pretende também instalar no local o Centro Qualifica de Vila Nova de Famalicão (antigo CQUEP).

 

OBRAS NA N14 PRESTES A COMEÇAR GARANTE GOVERNO

A Estrada Nacional 14, entre a Rotunda da Variante Nascente à cidade e o lugar de Santana, em Ribeirão, na fronteira com a Trofa, vai entrar em obras no primeiro trimestre de 2018, tendo em vista a melhoria da mobilidade na via e das acessibilidades rodoviárias à Zona Industrial de Lousado e à Zona Industrial de Ribeirão.

O ministro do Planeamento e das Infraestruturas, Pedro Marques, esteve na manhã desta quarta-feira no Salão Nobre da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão para assinar o contrato da empreitada, resultado de um Acordo de Gestão estabelecido entre a Infraestruturas de Portugal e a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão e enquadrada no âmbito do Programa de Valorização das Áreas Empresariais.

 

A obra, que foi entregue à empresa ABB – Alexandre Barbosa Borges, SA, por um valor de 3,3 milhões de euros e com um prazo de execução de 330 dias, contempla a duplicação da Estrada Nacional 14, entre a rotunda sul da Variante Nascente a Vila Nova de Famalicão e o lugar de Vitória, em Calendário (Rotunda do Grocenter), e a beneficiação do troço entre os lugares de Vitória e de Santana, em Ribeirão, onde vai nascer uma nova rotunda na EN14 que assegurará a articulação com a futura via de acesso à Área Empresarial Famalicão Sul – Lousado, a realizar pela autarquia de Famalicão.

No primeiro caso a obra prevê o alargamento da plataforma para 2×2 vias com separador central, a reabilitação integral do pavimento e a instalação de semáforos para controlo de velocidade e travessia de peões, entre outros trabalhos. Já no caso da beneficiação do troço entre Santana e Vitória a obra consiste na reabilitação integral do pavimento, na construção de novos passeios e reabilitação dos existentes e a reformulação e melhoria das condições de articulação com rede viária municipal existente.

Recorde-se que, relativamente à intervenção que agora avança para o terreno a Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão assume os encargos com a implantação e reforço da iluminação pública na via, tendo assumido ainda a responsabilidade pela elaboração do projeto e respetivo estudo de impacto ambiental. A autarquia famalicense fica ainda com a responsabilidade pela conservação, manutenção e requalificação dos arranjos paisagísticos incluídos na intervenção.

Refira-se que a Estrada Nacional 14 regista uma taxa média diária de circulação de 25 mil veículos, sendo 6% deles pesados. À sua margem encontram-se vários gigantes da exportação nacional como é exemplo, só no concelho de Famalicão, a Continental, a Leica, a Cup&Saucer, a Salsa, a Caixiave, a Tiffosi e a Tesco, entre muitas outras.

ADRAVE FECHA PORTAS POR QUESTÕES FINANCEIRAS

A diminuição e a limitação crescente ao financiamento das Agências de Desenvolvimento Regional, ao longo dos quadros comunitários, e as suspenções dos pagamentos devidos por parte da Agência para o Desenvolvimento e Coesão IP, no âmbito do Programa Operacional Potencial Humano de 2012, relativo à execução de projetos QIPME-Norte, são duas das razões invocadas pela ADRAVE – Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave, SA para colocar um fim à sua ação, ao cabo de 19 anos.

A decisão foi tomada no passado dia 14 dezembro, em assembleia geral. O Conselho de Administração da ADRAVE, após auscultação do Revisor Oficial de Contas, entendeu ser sua obrigação apresentar a insolvência.

Most Popular Topics

Editor Picks