Famalicão recebe festival de videojogos e tecnologia

Vila Nova de Famalicão vai receber, entre 6 e 8 de dezembro, a 3.ª edição do festival de videojogos, desportos eletrónicos e tecnologia. Um fim de semana de entretenimento, no Lago Discount (Ribeirão), onde são esperados cerca de sete mil visitantes.

A apresentação do festival decorreu no dia 18, na Casa da Juventude, com a presença dos vereadores do Desporto e Juventude, Mário Passos e Sofia Fernandes, respetivamente.

Mariana Machado da Associação de Desportos Eletrónicos (entidade organizadora) revelou algumas novidades deste festival. É o caso do Torneio eSports UEFA2020; do Master Cup Portugal de Counter Strike (CS); destaque, ainda, para os torneios de Fortnite e de TeamFigthTactics.

Além dos jogos, está garantida também a presença de youtubers, com nomes como João Jonas, Ricfazeres, Tiagovski, Shikai(streamer) e JUDCail.

Neste festival, está prevista uma vertente mais educacional, com temáticas relacionadas com produção de vídeo no smartphone, programação de drones, segurança online e empreendedorismo. A Fundação Champalimaud vai permitir uma experiência interativa e tridimensional ao corpo humano. O Exército Português e o Instituto Português do Desporto e Juventude vão ter atividades de escalada, uma exposição de viaturas blindadas e dinamização de jogos lúdicos.

A Câmara Municipal de Famalicão, co-organizador deste evento, vê nesta iniciativa uma oportunidade para promover o concelho de Famalicão.

Assalto a posto de combustível no centro de Famalicão

O posto de combustível da Galp, localizado na Avenida Marechal Humberto Delgado, no centro de Vila Nova de Famalicão, foi assaltado na noite desta segunda-feira, por volta das 22h00.

Os assaltantes, que ameaçaram o funcionário com uma arma de fogo, colocaram-se em fuga.

Vídeo: Duarte Prestes (facebook)

No local já se encontram as autoridades.

INEM nega indisponibilidade de helicóptero para transportar vítima de Joane

O Instituto Nacional de Emergência Médica, negou, na tarde desta segunda-feira, que o meio aéreo que chegou a estar alocado para o transporte da vítima de uma explosão em Joane, estivesse indisponível.

Em comunicado, o INEM esclarece que o helicóptero foi acionado após o Hospital de Coimbra ter dado a informação que estaria disponível para receber a vítima. Situação que se alterou após a mesma unidade hospitalar, em menos de 15 minutos depois da primeira comunicação, ter dado conta que não tinham capacidade para receber a doente.

Estando o Hospital de São João no Porto dotado da valência e capacidade de resposta necessária para esta utente, o Médico regulador do CODU decidiu que a doente deveria ser transportada para este Hospital, o que veio a acontecer por via terrestre dada a distância, e com acompanhamento da equipa da VMER.

Contrariando a informação avançada no local e telefonicamente pelos agentes de socorro, segundo o INEM, o helicóptero nunca chegou a estar indisponível.

Joane: Vítima ficou com “100% do corpo queimado”, helicóptero do INEM estava indisponível

Ficou com 100% do corpo queimado a mulher, de 65 anos, vítima de uma explosão seguida de incêndio que ocorreu nesta segunda-feira.

A situação aconteceu na casa onde a vítima reside, na vila de Joane. As primeiras diligências apontam para que a explosão tenha sido provocada por uma fuga de gás, na cozinha da residência.

A mulher foi assistida momentos após a explosão por agentes da GNR, mais tarde auxiliados pelos B.V.Famalicenses e pela VMER da unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

Devido à gravidade dos ferimentos, foi requisitado para o local um helicóptero, que iria assegurar o transporte da vítima para o Hospital de Coimbra, contudo, tal não chegou a acontecer por indisponibilidade do meio.

O ferido grave acabou por ser levado de urgência para o Hospital de S.João, no Porto, encontrando-se com prognóstico muito reservado.

[Atualização] Em comunicado, o Instituto Nacional de Emergência Médica veio negar a indisponibilidade do helicóptero

INEM nega indisponibilidade de helicóptero para transportar vítima de Joane

Famalicão: Obras para a criação do Centro Tecnológico das Carnes no início de 2020

As obras para a criação do Centro de Valorização e Transferência de Tecnologia da Indústria das Carnes (TECMEAT, CVTT-Indústria das Carnes), em Vila Nova de Famalicão, vão arrancar durante o primeiro trimestre de 2020. A garantia surge depois do município ver aprovada a candidatura do financiamento para a criação desta infraestrutura ao Norte 2020 através do Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional (FEDER).

Com um investimento total previsto de 998.760 mil euros, o TECMEAT, CVTT-Indústria das Carnes contará com uma comparticipação de 812 mil euros, o que corresponde a 85% do valor.

Para o presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Paulo Cunha, esta é “uma excelente notícia para a economia do concelho e do país, e uma alavanca fundamental para o desenvolvimento do setor do agroalimentar que é uma aposta estratégica para o futuro do nosso território”.

A infraestrutura vai ficar localizada no Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior de Famalicão – antigo complexo educativo da Escola Cooperativa de Ensino Didáxis de Vale de S. Cosme – onde estão já instalados os polos do IPCA (Instituto Politécnico de Cávado e do Ave) e do IPB (Instituto Politécnico de Bragança) com oferta dos Cursos Técnicos Superiores Profissionais, em várias áreas. Em breve, o espaço irá receber também um laboratório de formação, investigação e conhecimento na área da Biologia Alimentar da Universidade do Minho.

Terá uma área de aproximadamente 560 metros quadrados, que beneficiará de obras de adaptação à estrutura, com vários espaços destinados ao fabrico e a processos de testes, ensaios, industrialização e qualidade dos produtos.

“É um espaço com todas as condições tecnológicas, de investigação e conhecimento para acolher esta ambiciosa estrutura”, afirma Paulo Cunha.

Refira-se que a candidatura foi apresentada através da TECMEAT – Centro de Competências para o Setor das Carnes, uma associação que foi criada por iniciativa do município há precisamente um ano, em novembro de 2018, com o objetivo de implementar esta estrutura estratégica para o concelho, congregando 16 instituições da região e do país.

“Com esta associação conseguimos congregar esforços e canalizar energias para a implementação deste Centro de Competências, o qual terá como missão potenciar o aumento da competitividade e inovação das empresas através do desenvolvimento científico e tecnológico e ser agente proporcionador do aumento das exportações e da criação de valor no setor das carnes de forma integrada e sustentável”, explica o autarca.

Paulo Cunha não esconde o orgulho pelo passo alcançado. “Estamos a falar de um centro que irá inovar pelo conceito assumindo-se como polinuclear, aproveitando a capacidade instalada em empresas, universidades e centros de investigação, entre outros”, adianta o autarca, acrescentando que “a nossa grande ambição é fazer um centro de competências que seja uma lição para o país ao nível do aproveitamento de recursos e das sinergias institucionais geradas”.

Refira-se que para além do município, a TECMEAT – Centro de Competências para o Setor das Carnes engloba ainda a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte, a Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, a Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal, a Agência Nacional de Inovação, a Confederação dos Agricultores de Portugal, a Associação Portuguesa dos Industriais de Carnes, a Associação Portuguesa de Empresas de Distribuição, a PortugalFoods, o Centro de Nanotecnologia, Materiais Técnicos, Funcionais e Inteligentes, o Instituto Nacional de Investigação Agrária e Veterinária, a Agência de Desenvolvimento Regional do Vale do Ave, a Universidade Lusíada Norte, a Cooperativa de Ensino Superior Politécnico e Universitário, o CITEVE – Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e do Vestuário de Portugal e a Faculdade de Ciências da Nutrição e Alimentação da Universidade do Porto.

O setor agroalimentar é identificado como prioritário na agenda do plano estratégico concelhio perante o carácter distintivo do conhecimento, do saber-fazer resultante de uma longa tradição histórica e empreendedora no concelho e da forte presença de inúmeras empresas do setor no mercado nacional e internacional.

Vila Nova de Famalicão quer assim reforçar o seu posicionamento como epicentro regional de base altamente tecnológica e inovadora na área do têxtil e do vestuário, e colocar-se no mesmo patamar ao nível do setor agroalimentar. Para isso, ao CITEVE e ao CENTI a Câmara Municipal vai juntar em Famalicão um Centro de Competências Agroalimentar.

Este passo está devidamente alicerçado na existência no território de um conjunto de empresas altamente competitivas e tecnologicamente avançadas que fazem já de Famalicão um dos mais relevantes municípios neste setor e com as quais o município está devidamente articulado.

Most Popular Topics

Editor Picks