Castelões: Populares resgatam cães que estariam desnutridos no interior de habitação e entrega-os à GNR 14

Castelões: Populares resgatam cães que estariam desnutridos no interior de habitação e entrega-os à GNR 15

Nas últimas horas foi dado a conhecer através das redes sociais, um caso de alegados maus tratos a animais, numa habitação da freguesia de Castelões.

De acordo com relatos de populares que acompanharam a situação e visitaram o local, dois cães estariam há já vários dias no interior da moradia, sem que ninguém lhes desse qualquer tipo de alimentação. As denúncias eram acompanhadas de fotografias que mostravam um dos cães, numa das janelas da habitação, com aparentes sinais de magreza.

O caso foi reportado às autoridades locais e teve desenvolvimentos na madrugada deste sábado, com os dois cães a serem levados por um grupo de pessoas que os entregou na GNR de Joane. Um dos animais, que aparentava estar num estado mais frágil, foi antes atendido de emergência numa clínica veterinária de Famalicão.

O profissional que prestou o socorro confirmou à Cidade Hoje o estado de magreza do animal, deixando claro que não foi impossível perceber se o mesmo está relacionado com as acusações a que os donos estão a ser alvos.

A GNR de Joane tomou conta da ocorrência, encaminhou os dois cães para o canil municipal onde estão a ser acompanhados e a receber o respetivo tratamento.

O dono dos animais diz que a casa lhe foi vandalizada, já fez saber que vai agir judicialmente contra o grupo que entregou os cães às autoridades, negando as acusações de maus tratos.

Por sua vez, as pessoas que fizeram chegar os cães à GNR, dizem estar disponíveis para colaborar com as autoridades no apuramento da verdade. Garantem que não destruíram ou vandalizaram a habitação e que encontraram os animais na via pública.

Entretanto a Cidade Hoje sabe que o dono dos cães já se deslocou ao canil municipal para os levantar. Uma situação que acabou por lhe ser negada, uma vez que os mesmos vão-se manter à guarda do canil até que haja uma decisão das instâncias superiores.

A proprietária da habitação, a viver no estrangeiro, entrou em contacto com a Cidade Hoje para se demarcar de todos os acontecimentos registados na casa. Garantiu que não tem qualquer relação com as pessoas que nela habitam, já que colocou um processo em tribunal devido ao incumprimento de obrigações relacionadas com o contrato de aluguer.

Most Popular Topics

Editor Picks