Câmara de Famalicão não queria antena junto à escola D. Maria II

O presidente da Câmara Municipal de Famalicão revelou esta sexta-feira, na reunião da Assembleia Municipal, que nunca desejou a colocação da antena de telecomunicações junto à Escola D. Maria II.

Paulo Cunha adiantou que promoveu contactos com a empresa de telecomunicações para que fosse encontrado outro local. Não tendo sido possível, a Câmara teve que cumprir a lei.

O autarca respondia às dúvidas dos pais que falaram na Assembleia Municipal, mostrando-se contra a instalação da antena de telecomunicações.

Estão apreensivos quanto ao acumular de radiações em torno da escola. Na dúvida sobre o impacto da antena, dizem que devia ter sido encontrado outro local. Um pai lembrou que as crianças são um grupo de risco porque ainda estão em desenvolvimento físico e intelectual.

O PS, pelo deputado Paulo Folhadela Simões, disse que a Câmara além de ter em atenção os pareceres técnicos, tem que olhar ao superior interesse das crianças.

Nos esclarecimentos, Paulo Cunha frisou que enquanto presidente de Câmara tem que cumprir a lei. Mas adiantou que se houver um parecer judicial em contrário, o município acata a decisão.