Caíram todas as acusações de corrupção contra José Sócrates

O juiz Ivo Rosa está a ler a decisão instrutória sobre a Operação Marquês que envolve, entre outros, José Sócrates. O ex-primeiro ministro está livre de 31 crimes de que vinha acusado pelo Ministério Público que pode, ainda, recorrer desta decisão para o Tribunal da Relação.

Segundo a decisão instrutória, hoje lida no Campus da Justiça, em Lisboa, Sócrates está livre dos crimes de corrupção passiva relacionados com o Grupo Lena e o empresário e seu alegado testa-de-ferro, Carlos Santos Silva, entre 2005 e 2011; outro entre o ex-chefe do Governo e o ex-banqueiro Ricardo Salgado envolvendo o Grupo Espírito Santo e a PT; e, ainda, um terceiro em coautoria com o ex-ministro Armando Vara relativo ao financiamento, pela Caixa Geral de Depósitos, do empreendimento Vale do Lobo.

Sócrates foi acusado pelo Ministério Público de 31 crimes: corrupção passiva de titular de cargo político (três), branqueamento de capitais (16), falsificação de documento (nove) e fraude fiscal qualificada (três).