Braga: ASAE apreende quase 10 toneladas de carne e fecha entreposto frigorífico sem licença

A Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) apreendeu quase dez toneladas de géneros alimentares de origem animal, na sequência de ações de fiscalização, tendo encerrado um entreposto frigorífico, anunciou hoje a entidade.

Em comunicado, a ASAE dá conta de que realizou duas operações de fiscalização a entrepostos frigoríficos, no distrito de Braga e em Mondim de Basto, através da Unidade Regional do Norte — Unidade Operacional de Mirandela.

“No que se refere ao entreposto situado em Mondim de Basto, foram apreendidas cerca de oito toneladas de produtos de origem animal com suspensão da atividade por falta do número de controlo veterinário e falta de licenciamento”, lê-se no comunicado.

No entreposto de Braga, a ASAE apreendeu 1.780 quilos de géneros alimentares de origem animal, “por falta de requisitos e rastreabilidade”.

Depois de terem sido submetidos a perícias, 880 quilos foram considerados “anormais avariados pelo facto de apresentarem notória formação de cristais de gelo na sua superfície, desidratação e descoloração, provocados pela exposição ao frio, sendo que a generalidade tinha ultrapassado a data-limite de consumo”.

Segundo a ASAE, o operador económico recondicionava os produtos sem licenciamento, alterando as condições de conservação, passando de fresco para congelado e colocando novas etiquetas nos produtos para alterar as datas limite de consumo, algo que “colocava em causa a rastreabilidade e condição dos produtos”.

Além disso, a ASAE apreendeu material de etiquetagem usado para rotular irregularmente os produtos, “estimando-se um valor global da apreensão em 58 mil euros”.

Famalicão: Bombeiros combatem incêndio em Cruz com apoio aéreo

Na tarde desta quinta-feira, deflagrou um incêndio em zona de mato, junto à Rua de Currelos, em S. Tiago da Cruz.

O alerta foi dado às 14h08 e o combate está a ser feito pelos BV Famalicenses, com apoio aéreo e de mais duas corporações da região.

No local estão 22 homens e quatro veículos que combatem as chamas.

Foto arquivo

Famalicão: Um ferido em despiste seguido de capotamento que obrigou ao corte da N206 em Outiz (c/vídeo)

Uma pessoa ficou ferida na sequência do despiste seguido de capotamento de uma viatura, em plena N206, na freguesia de Outiz, em Famalicão.

O acidente deu-se cerca das 13h00 e para o socorro foram acionados os Bombeiros Voluntários Famalicenses.

A vítima, era o condutor da viatura, foi transportada para a unidade de Famalicão do Centro Hospitalar do Médio Ave.

CIM divulga Oferta Formativa do Ensino Profissional no território do Ave

A Comunidade Intermunicipal do Ave arrancou, esta semana, com a divulgação da Oferta Formativa do Ensino Profissional para próximo ano letivo. Estão aprovadas 80 turmas, distribuídas por diferentes áreas e cursos profissionais, que poderão ser consultados em Bookletsemmapa_v3 (cim-ave.pt)
Esta oferta é resultado de um processo de concertação intermunicipal da rede de oferta formativa, junto dos municípios e das escolas que integram o território do Ave, seguindo uma estratégia de alinhamento com as necessidades e expectativas empresariais e sociais do território.

Desta forma, a CIM do Ave assume-se como parceiro fundamental na procura da melhoria contínua e estratégica do Sistema Nacional de Qualificações e no reforço da confiança e valorização das modalidades de Educação e Formação Profissional. Aliás, tem sido da responsabilidade desta Comunidade Intermunicipal mobilizar e facilitar a implementação do Modelo de Aprofundamento Regional do SANQ – Sistema de Antecipação de Necessidades de Qualificações, em articulação com a DGEstE, municípios, escolas com ensino profissional e outros agentes que atuam no território, no âmbito da formação profissional.

Desenvolvida em conformidade com o Referencial Metodológico definido pela ANQEP, I.P., esta oferta pretende, ainda, responder às efetivas necessidades do território da NUT III Ave, numa perspetiva de desenvolvimento estratégico, mas sem romper com a capacidade instalada da oferta do território que contempla os municípios de Vila Nova de Famalicão, Cabeceiras de Basto, Fafe, Guimarães, Mondim de Basto, Póvoa de Lanhoso, Vieira do Minho e Vizela.

Famalicão: Bombeiros acionados para queimada descontrolada

Os Bombeiros Voluntários de Famalicão foram, na noite desta quarta feira, acionados para um incêndio gerado através de uma queimada.

A situação aconteceu cerca das 23h00, na freguesia de Calendário, e rapidamente foi dada como controlada através da rápida intervenção dos soldados da paz.

Não há registo de feridos.

Distrito de Braga registou 18.419 crimes em 2021

O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI), de 2021, aprovado na reunião do Conselho Superior de Segurança Interna, revela que a criminalidade participada em Portugal registou um ligeiro acréscimo em comparação com 2020, verificando-se mais 2.597 crimes. Ou seja, foram denunciados às forças e serviços de segurança 301.394 crimes, mais 0,9% do em que em 2020 quando se registaram 298.797.

O distrito de Braga, com 18.419 denúncias de crimes, é o quinto distrito com números mais elevados, sendo que Lisboa (72.183), Porto (47.552), Setúbal (28.679) e Faro (20.788) seguem na frente.

A criminalidade violenta e grave registou no ano passado uma descida em comparação com 2020, tendo-se verificado menos 855 crimes. O RASI dá conta de 11.614 crimes violentos e graves, menos 6,9% do que em 2020, quando ocorreram 12.469.

Tal como acontece na criminalidade geral, os distritos de Lisboa (4.619), Porto (1.886), Setúbal (1.234), Faro (707) e Braga (469) registam o maior número absoluto da criminalidade violenta e grave.

Aumenta sinistralidade rodoviária

A sinistralidade rodoviária também aumentou, quase 7% no ano passado, em relação a 2020.

O Relatório Anual de Segurança Interna (RASI) registou 114.960 acidentes, mais 7.308 do que em 2020 (+ 6,9%), que provocaram 400 vítimas mortais no local do desastre ou a caminho do hospital (mesmo assim foram menos quatro); mas sobem os feridos graves, foram 2.269, mais 273; aumentaram também os feridos ligeiros, com 35.404 pessoas, mais 3.333.