Autárquicas 21: PAN em defesa da economia circular

A concelhia do PAN reuniu com a OMATI, empresa famalicense do setor têxtil inserida num modelo de economia circular, pela utilização dos rolos de tecido descartados pelo setor. A reunião contou com a presença dos candidatos aos órgãos autárquicos Sandra Pimenta e Emanuel Figueiredo que, no final da visita, considerou que «é essencial incentivar a redução e reutilização dos produtos e equipamentos, ao invés de continuarmos focados no seu destino final que será, inevitavelmente, um aterro sanitário ou uma incineradora e que vão continuar a ter impactos nefastos no meio ambiente».

O candidato defende que os apoios à economia circular «devem privilegiar projetos que contribuam para o desenvolvimento de modelos de negócio circulares como as simbioses industriais, privilegiando a reutilização de resíduos de umas indústrias para outras».

A OMATI utiliza os rolos de tecido que são sinalizados como contendo algum tipo de defeito, sobretudo em ligeiros desvios da cor encomendada. «Seria efetivamente um desperdício de recursos se estes rolos não tivessem a oportunidade de ter uma segunda vida», nota Sandra Pimenta.

A candidata à presidência da Câmara Municipal vê na atividade industrial um importante motor de desenvolvimento económico e de emprego, mas defende que «não se pode sobrepor ao maior desafio que a humanidade enfrenta: as alterações climáticas. Queremos um setor industrial moderno e adaptado a uma produção responsável».

O programa autárquico do PAN contempla a criação uma plataforma municipal que promova as simbioses industriais, onde os resíduos de uma indústria poderão ser utilizados como matérias-primas noutras indústrias e defende a atribuição de incentivos para fixação das indústrias ligadas às energias renováveis, à mobilidade e alimentação sustentável, e à promoção da economia circular.