Atos de pirotecnia nos estádios: Liga quer revistas mais rigorosas aos adeptos na entrada para os estádios

A reunião ocorre pouco mais de uma semana depois de a LPFP ter divulgado o pedido de uma reunião de urgência ao ministro da Administração Interna, na sequência dos incidentes ocorridos no dérbi entre Sporting e Benfica, em 17 de janeiro, da 17.ª jornada da I Liga, que os ‘encarnados’ venceram por 2-0.

“Face aos últimos acontecimentos relacionados com os artefactos de pirotecnia que têm deflagrado nos estádios, com efetivo impacto no decorrer do jogo, e colocando, em muitas situações, em causa a integridade física e a segurança de adeptos de todas as idades, o futebol não vai ficar refém de um conjunto de pessoas que, sem rosto, mancham o nome dos clubes e dos seus fiéis e reais adeptos”, anunciou a Liga em comunicado, divulgado a 17 de janeiro, dia em que se jogou o dérbi.

Depois de mais este episódio, a Liga “exige que as revistas feitas aos adeptos na entrada para os estádios sejam mais rigorosas e eficazes, de forma a acabar, definitivamente, com a entrada de objetos perigosos e proibidos nos recintos desportivos”.

O organismo responsável pelas competições profissionais de futebol em Portugal divulgou o pedido deste encontro depois de o dérbi ter estado interrompido durante mais de cinco minutos, no início da segunda parte, devido ao arremesso de artefactos pirotécnicos para o relvado por adeptos dos ‘leões’.

Pedro Proença pretende analisar a situação e “encontrar medidas eficazes para combater este flagelo”.

O Governo manifestou disponibilidade para a reunião entre as partes, que vai decorrer hoje, pelas 11:30, no Ministério da Administração Interna, em Lisboa.

Famalicão: Aos 10 anos, Parque da Devesa recebe cuidados extra

Uma centena de pinheiros-mansos e choupos antigos do Parque da Devesa, o “pulmão verde” da cidade que esta quarta-feira, celebra 10 anos de vida, estão a ser alvo de podas de segurança.
Estes trabalhos visam eliminar ramos mortos e reduzir o volume da copa, baixando consideravelmente o risco de queda. Esta intervenção está incluída na candidatura “Valorização da Estrutura Arbórea Urbana – Vila Nova de Famalicão” que prevê, também, a plantação, no final do próximo ano, de 41 arbustos e mais 429 árvores de 23 espécies, a maioria de carácter ripícola, de folha caduca e autóctone, na margem ribeirinha do Rio Pelhe que atravessa esta zona verde.
A candidatura foi aprovada no âmbito do Programa Operacional Compete 2020, relativo ao apoio à “Transição Climática – Intervenções de Resiliência dos Territórios Face ao Risco e (Re)arborização de Espaços Verdes e Criação de Ilhas-Sombra em Meio Urbano”.
A ação de plantação abrange uma área superior a 6 hectares, nas zonas mais planas junto ao rio, onde há, ainda, poucos exemplares de arbóreos adultos, mas também em zonas com grupos de espécimes que já necessitam de renovação.
Para além do aumento da zona arbórea do Parque da Devesa e da criação de zonas de estadia/convívio mais abrigadas e com mais sombra, a intervenção visa, também, a diminuição da temperatura ambiente no parque e na cidade, a melhoria da qualidade do ar e da água do rio. A promoção da biodiversidade, a reposição de árvores que caíram devido a condições meteorológicas adversas ou a outros fatores, o aumento da atratividade do parque e a mitigação das alterações climáticas através do sequestro de dióxido carbono e redução da temperatura, são outros propósitos desta intervenção.
As duas ações representam um investimento total previsto de 79.647 euros, dos quais 75.000 são comparticipados.
«É uma boa prenda que damos ao Parque. O cuidado que temos com este espaço de referência nacional, muito acarinhado e frequentado pelos famalicenses, é bem o espelho da importância que lhe reconhecemos», analisa o presidente da Câmara Municipal, Mário Passos, estas intervenções em curso.

Mercadona doa 670 toneladas de alimentos no primeiro semestre deste ano

A Mercadona doou 670 toneladas de produtos de primeira necessidade no primeiro semestre de 2022 em Portugal. Estas doações, equivalente a mais de 11.000 carrinhos de compra, foram destinadas a mais de 30 cantinas sociais, 5 bancos de alimentos e outras entidades sociais com as quais a empresa colabora. No distrito de Braga, a Mercadona doou 118 toneladas de produtos de primeira necessidade a instituições locais de solidariedade social.

A Mercadona participa, ainda, noutras iniciativas de âmbito nacional que se realizam ao longo do ano. É o caso da “Campanha Vale”, da Federação Portuguesa dos Bancos Alimentares Contra a Fome, e da campanha “Shop for Goodness” da Cruz Vermelha Portuguesa, cujo montante angariado foi convertido em cartões de compra que contribuem para a autonomização de famílias carenciadas.

Com mais de 1.660 lojas entre Portugal e Espanha, a Mercadona doou 10.800 toneladas de bens na primeira metade deste ano, o equivalente a 180.200 carrinhos de compras, que se destinaram a mais de 410 cantinas sociais, 60 bancos de alimentos e outras entidades sociais de ambos países.

Estas ações resultam do compromisso da empresa em partilhar com a sociedade parte do que dela recebe. No âmbito deste Plano de Responsabilidade Social e a par da doação de alimentos, a Mercadona colabora com 32 fundações e centros ocupacionais na decoração das suas lojas com murais de trencadís (mosaicos típicos do Mediterrâneo), elaborados por mais de mil pessoas com incapacidade intelectual.

Outra linha estratégica deste Plano de Responsabilidade Social é a sustentabilidade, de que é prova o Sistema de Gestão Ambiental próprio, baseado nos princípios da economia circular e focado na otimização logística, eficiência energética, gestão de resíduos, produção sustentável e redução do plástico. Nesse sentido, a Mercadona, junto dos seus fornecedores Totaler, está a desenvolver a Estratégia 6.25: 6 ações para atingir um triplo objetivo até 2025: reduzir o plástico em 25%, que todas as embalagens sejam recicláveis, e reciclar todos os seus resíduos de plástico.

A Mercadona integra desde 2011 o Pacto Mundial das Nações Unidas para a defesa dos valores fundamentais em matéria de Direitos Humanos, Normas Laborais, Meio Ambiente e Luta contra a Corrupção.

Em Braga, as instituições beneficiárias são Associação de Solidariedade Social de S. Tiago de Fraião (Braga), GASC (Barcelos), Lar de Santo António (Guimarães), Dar as Mãos – Associação de Solidariedade Social (Braga), Lar de Santa Estefânia (Braga), Cruz Vermelha Portuguesa – Delegação de Braga (Braga) e Lar Nossa Senhora da Misericórdia (Barcelos)

Famalicão: Hospital assinala Dia Mundial da Segurança e do Doente

No passado sábado, comemorou-se o Dia Mundial da Segurança do Doente, este ano com o tema “Segurança da Medicação” e, em Famalicão, o Centro Hospitalar do Médio Ave fez questão de assinalar este dia, dada a sua importância e, também, para sensibilizar profissionais e utentes.

Durante a semana as fachadas dos edifícios do CHMA foram iluminadas com a cor laranja, cor oficial definida pela OMS. Foram, ainda, criadas informações de educação para a saúde, disponíveis no site do CHMA e nas TV’s das salas de espera.

Esta causa uniu todos os profissionais que envergaram, simbolicamente, T-shirts alusivas ao dia.

Famalicão organiza diversas atividades na Semana Europeia da Mobilidade

Famalicão associa-se à Semana Europeia da Mobilidade, que decorre de 16 a 22 de setembro, com um conjunto de atividades promotoras de modos de locomoção suaves para o meio ambiente, a que deu o título de “Combina e Move-te”.

Organizada pelo Município de Vila Nova de Famalicão, através do pelouro da Mobilidade e Segurança Rodoviária, acontece no renovado espaço central da cidade e outros espaços do concelho.

A iniciativa arranca no próximo sábado, dia 17 de setembro, com a ação «Pelo Chão da Cidade» que abrange a educação rodoviária e a dança, e que acontecem entre as 10h e as 18h30, na Praça D. Maria II e na Rua João de Faria Guimarães.

Na terça-feira, 20 de setembro, serão colocados bicicletários na Escola Básica Integrada de Arnoso Santa Maria, onde também terá lugar uma sessão de sensibilização sobre o uso da bicicleta e os cuidados a ter.

Para quem utilizar o “Voltas”, nos dias 21 e 22 de setembro, das 10h00 às 12h00 e das 14h00 às 16h30, poderá usufruir durante a viagem de momentos de poesia e de leitura de pequenos contos.

Ainda no dia 22 de setembro, quinta-feira, data da comemoração do «Dia Europeu Sem Carros», haverá atividades abertas ao público junto ao Centro Escolar de Ribeirão, que abrangem a Escola de Educação Rodoviária, jogos tradicionais, workshop de cerâmica artística e diversas atividades desportivas.

Refira-se que, anualmente, de 16 a 22 de setembro, os cidadãos europeus têm a oportunidade de celebrar uma semana inteira de atividades dedicadas à mobilidade sustentável, com o objetivo de promover um debate alargado sobre a necessidade da alteração de atitudes e comportamentos relativamente à mobilidade, em particular no que toca à utilização do veículo automóvel.

Recorde-se que a iniciativa Semana Europeia da Mobilidade foi criada em 2002, após o sucesso do Dia Europeu sem Carros (DESC), em 2000 e 2001, pela Comissária para o Ambiente e com o apoio político e financeiro da Comissão Europeia (CE). Trata-se de uma parceria entre a Coordenação Europeia, as Autoridades locais e a CE.

 

A programação da Semana Europeia da Mobilidade encontra-se disponível na página: www.famalicao.pt/combina-e-move-te .

 

Município de Famalicão integra campanha nacional de promoção do uso dos transportes públicos

O Instituto da Mobilidade e dos Transportes, I.P. lançou, esta quinta-feira, a campanha “O Futuro é Coletivo – Use os Transportes Públicos”, que tem como objetivo a promoção do uso do transporte público coletivo, através de uma divulgação alargada dos benefícios para o utilizador: + barato / melhor para o ambiente / + tempo para o que gosta / cómodo e seguro
A campanha, que tem como parceiros 50 entidades, entre as quais a CIM do Ave e o Município de Famalicão, passa em vários órgãos de comunicação social e múltiplas plataformas.

Com as crescentes alterações climáticas, o aumento do congestionamento, a degradação da qualidade do ar, o aumento da sinistralidade rodoviária e a crise energética, tornou evidente a necessidade de alterar o paradigma da mobilidade. O transporte público é uma área chave na política de mobilidade urbana sustentável, a par da racionalização do uso do transporte individual
e do estímulo aos modos ativos.
O Programa de Apoio à Redução Tarifária nos Transportes Públicos (PART), iniciado em 2019, levou a um aumento global de passageiros nos transportes públicos e teve um impacto significativo no financiamento do sistema de transportes, na poupança das famílias e na simplificação dos sistemas tarifários, atraindo, deste modo, novos passageiros para o transporte público.
Por outro lado, a recente crise sanitária condicionou a utilização do transporte público coletivo, tendo-se verificado uma diminuição da procura. Neste contexto, o IMT considera importante divulgar os benefícios do uso do transporte público coletivo e promover o regresso e atrair novos passageiros.

 

Greve dos trabalhadores da IP vai afetar circulação de comboios nos dias 1, 3 e 5 de agosto

A organização sindical representativa dos trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal (gestor da infraestrutura ferroviária) convocou uma greve para os dias 1, 3 e 5 de agosto e a Comboios de Portugal (CP) prevê «fortes perturbações» na circulação.

Em comunicado, a CP reporta que, «por motivo de greve convocada por organização sindical representativa dos trabalhadores da IP – Infraestruturas de Portugal preveem-se fortes perturbações na circulação de comboios, a nível nacional, em todos os serviços, nos dias 1, 3 e 5 de agosto de 2022».

Está prevista a realização de serviços mínimos nos dias da greve, sem prejuízo de poderem ser realizados comboios adicionais, cuja lista pode ser consultada em www.cp.pt