Ângelo Meneses renova com o FC Famalicão até 2020

A época terminou no passado domingo e o FC Famalicão já trabalha na formação do plantel para 2018/2019. A primeira novidade é a continuidade de Ângelo Meneses até 2020. O clube anunciou o prolongamento do vínculo contratual, que terminava esta temporada, com o defesa central.

De saída estão Denner, Diogo Cunha, Fred, Jaime Poulson, Jefferson e Nuno Diogo que terminam contrato e já foram informados de que o FC Famalicão não conta com eles para a nova temporada.

Famalicão: Treinador Miguel Afonso suspenso de funções

Em comunicado emitido ao final da manhã desta sexta-feira, o Futebol Clube Famalicão anuncia a suspensão de funções do treinador Miguel Afonso, com efeitos imediatos. Uma decisão tomada por «mútuo acordo».

O técnico Renato Lobo e restante equipa técnica asseguram a condução do plantel de forma interina «até que a verdade dos factos seja apurada».

Recorde-se que o treinador da equipa feminina, é alvo de denúncias de assédio sexual a atletas do Rio Ave, equipa que treinou na época 2020/21.

Leia o comunicado:

«O Futebol Clube Famalicão com o interesse máximo de salvaguardar os seus valores, as suas pessoas e o seu emblema, vem comunicar, face aos acontecimentos ocorridos no dia de ontem, a suspensão de funções, por mútuo acordo e com efeitos imediatos, do treinador Miguel Afonso até que a verdade dos factos seja apurada.

De momento, assumirá as funções de treinador principal, de forma interina, o técnico Renato Lobo e restante equipa técnica.

O FC Famalicão renova que não se revê em nenhuma atitude de teor abusivo ou de desigualdade de género, seguindo o seu caminho assente nos valores em que acredita e com o objetivo único de dignificar cada vez mais este emblema.

Mais uma vez, o FC Famalicão manifesta total disponibilidade a todas as partes envolvidas e às entidades competentes para coadjuvar no alcance da verdade».

Famalicão: Miguel Afonso vai defender-se «com calma e alma do esquema criado»

Miguel Afonso não presta, por enquanto declarações, sobre as acusações de que é alvo. No entanto, numa publicação no Instagram, o treinador escreveu uma breve declaração, na qual agradece «a todos aqueles que manifestaram apoio durante esta noite, pois sabem como sou e quem sou». Miguel Afonso refere, ainda, que «continuo focado e com calma e alma» vai defender-se «do esquema criado».

Recorde-se que, esta quinta-feira, foi tornado público, que várias jogadoras da equipa sénior de futebol feminino do Rio Ave acusam o ex-técnico Miguel Afonso de assédio sexual, casos que terão ocorrido na temporada 2020-21. A notícia é do jornal Público.

Segundo o diário, o técnico terá trocado mensagens íntimas com várias jovens, entre os 18 e os 20 anos, do plantel feminino do Rio Ave, uma situação negada pelo técnico, que acabou por sair do clube e está agora a treinar o Famalicão.

O Público escreve que as mensagens terão começado logo na pré-temporada 2020-21, com a chegada de Miguel Afonso para orientar a recém-formada equipa sénior de futebol feminino do Rio Ave.

O Público diz que são “muitas as mensagens escritas e orais trocadas entre Miguel Afonso e algumas das jogadoras envolvidas” e que o treinador, contactado pelo jornal, se recusou a comentar, dizendo apenas: “Não sei onde querem chegar com isso e que tipo de conversas são essas”.

FC Famalicão vence nos quartos de final da Taça da Liga

A equipa feminina do FC Famalicão venceu, na tarde deste domingo, o Lank Vilaverdense, por 3-1.

Na Academia e no primeiro jogo dos quartos de final da Taça da Liga, o Famalicão foi claramente superior em todos os momentos do jogo e só deve a si um resultado bem mais folgado.

Os três golos famalicenses foram apontados na primeira parte, por Laís Araújo, Pati e Alidou, em resultado de uma boa exibição.
O Lank Vilaverdense esboçou, nos primeiros minutos da segunda parte, uma reação e fez um golo.

Até final, a equipa treinada por Miguel Afonso desperdiçou mais algumas oportunidades para dilatar o marcador.

FC Famalicão isento da primeira eliminatória da Taça de Portugal de futsal

Realizou-se, esta quinta-feira, no auditório 2 da Cidade do Futebol, o sorteio da primeira eliminatória da Taça de Portugal Placard, em futsal. Com 53 clubes, o sorteio começou por definir as primeiras 23 equipas isentas, de entre as quais está o SC Cabeçudense/FC Famalicão.

A eliminatória está dividida em duas séries, sendo que na Norte, o São Mateus vai receber o Águias Vimioso.

Recorde-se que as duas equipas famalicenses competem no campeonato nacional da 3.ª divisão, cuja primeira jornada disputa-se este fim de semana.

Famalicão: João Pedro Sousa aceitou o convite em três minutos

Tal como CIDADE HOJE avançou, em primeira mão, João Pedro Sousa está de regresso ao FC Famalicão e o contrato é válido por época e meia. Depois do sucesso em 2019/2020, com o sexto lugar na primeira liga, o treinador saiu em janeiro de 2021, e volta a uma casa que bem conhece, depois de passagens pelo Boavista e Al Raed, da Arábia Saudita.

Na conferência de imprensa de apresentação, ao final da manhã desta quinta-feira, foi um sorridente João Pedro Sousa que se apresentou aos jornalistas. Logo defendeu que «não gosta de vender sonhos», reconheceu que o momento da equipa «é difícil», mas, doravante, «vamos jogar para ganhar»

Logo que Miguel Ribeiro lhe ligou a resposta não demorou mais de 3 minutos, garante, porque «sempre me identifiquei com o clube, com as pessoas que aqui trabalham, com o projeto e com a cidade» E, assim, reconheceu, «continuam reunidas as condições para aqui trabalhar», num regresso que lhe revelou «mais competência e mais ambição para fazer crescer o clube».

Aos votos de «bem-vindo», do presidente da SAD, João Pedro Sousa logo lançou um olhar sobre o plantel «que conheço bem e estou identificado com o seu valor». Voltar a ser «feliz» em Famalicão, motivar e trabalhar os jogadores «para jogarem com alegria» e inverter o ciclo negativo já no próximo jogo (em casa, com o Boavista), são as primeiras premissas. E tudo isto para «dar alegrias aos nossos adeptos».

«É preciso trabalhar muito, porque estamos numa situação muito complicada», avisou. Trabalho que não enjeita «porque estamos num clube e numa cidade de muita coragem».

Doravante, há, então, «que lutar, trabalhar e correr para vencer» para, o mais cedo possível, «entrar numa velocidade de cruzeiro e em zonas classificativas que nos deem alguma tranquilidade».

Mas as primeiras palavras de João Pedro Sousa foram de reconhecimento para o seu antecessor Rui Pedro Silva. Foi também pelo reconhecimento ao ex-treinador que Miguel Ribeiro começou. Depois do desenlace, o dirigente assume que o clube tinha várias opções em carteira, mas a escolha «recaiu em João Pedro Sousa, porque conhece esta casa e pela qualidade do seu trabalho», através do qual «vamos conseguir os nossos objetivos». E o que pediu a João Pedro Sousa? «O que pedimos ao João foi um jogo, um jogo capaz de nos levar a um bom patamar, enquadrando os nossos jogadores e para fazer crescer o Famalicão colocando-o no patamar onde pretendemos».

João Pedro Sousa tem como adjuntos Carlos Pacheco, Manuel Santos, Paulo Silva, Vítor Alcino e Ricardo Silva.