Ambiente: Presidente da Câmara acusa Governo de «insensibilidade e oportunismo» nas taxas cobradas aos cidadãos

A empresa Águas do Norte (responsável pelo fornecimento de água e tratamento do saneamento) e a Resinorte (responsável pelos resíduos) sobem o preço dos serviços, já a partir de janeiro, mas a Câmara de Famalicão vai assumir esses aumentos para que os consumidores não sintam a fatura agravada.

O presidente da autarquia, Paulo Cunha, avança que há uma despesa extra de 200 mil euros para o município de Famalicão.

Não aumenta o preço dos serviços mas sobe para o dobro a taxa que é paga todos os meses na fatura. Acontece por determinação do Governo, custo que vai ser pago pelas famílias diretamente para os cofres do Estado.

Em ano de dificuldades, devido à pandemia, o presidente da Câmara fala em falta de sensibilidade do Governo. «Aumentar em tempo de crise é um sinal de aproveitamento e de insensibilidade», acusa Paulo Cunha, que já escreveu ao Ministro do Ambiente, dando conta da sua insatisfação.

O autarca famalicense diz que o Governo não perdeu a oportunidade de aumentar a receita, sem que tenha um aumento da despesa.