Alunos universitários ponderam deixar os estudos por causa de problemas financeiros

Cerca de um quarto dos alunos do ensino superior afirma ter dificuldades em sustentar os custos da vida universitária, devido às dificuldades financeiras desenvolvidas com a pandemia. Após pagarem propinas, alojamento e transportes, estudantes partilharam que apenas têm cerca de 50 euros disponíveis para pagar outras despesas. Alguns universitários estão a considerar abandonar os estudos e deixar a universidade.

Estes dados foram concluídos a partir de uma consulta desenvolvida entre 24 de março e 10 de abril por 11 instituições e federações académicas. A consulta pretendia avaliar o impacto da crise pandémica ao nível da habitação e rendimentos.

O estudo nacional foi desenvolvido pelas academias de Lisboa, Porto, Minho, Trás-os-Montes e Alto Douro, Beira Interior, Évora, Algarve, Açores e Madeira, e pela Federação Nacional de Associações de Estudantes do Ensino Superior Politécnico. Os resultados partilhados esta terça-feira, dia 4 de maio, contam com respostas de cerca de quatro mil estudantes que se encontram a frequentar uma licenciatura ou mestrado nas instituições de ensino portuguesas.

As associações académicas revelaram que foi visível “um grande impacto causado pela covid-19”, retratando que cerca de um terço dos alunos afirmaram que as possibilidades económicas de que dispunham mensalmente foram condicionadas pela pandemia. Um em cada cinco (29,1%) estudantes inquiridos declararam que, após pagarem as suas despesas fixas, apenas ficam com 50 euros; 24, 9% apresentam pouco mais de 100 euros.

As dificuldades financeiras surgiram, segundo um terço dos universitários, depois da situação financeira familiar se ter agravado, por exemplo, com a perda de emprego por parte de um dos elementos do agregado familiar; 27.5% dos inquiridos relataram que os problemas financeiros desenvolveram-se quando os negócios de família começaram a ser afetados. Além disso, no último ano, cerca de metade dos alunos que pertenciam à categoria de trabalhadores-estudantes ficaram sem emprego ou entraram em lay-off. Face a estes cenários, 7% dos participantes do estudo assumiram pensar em deixar de estudar.

No que diz respeito às condições de estudo em casa, 130 alunos declararam não ter um computador pessoal e 9,5% afirmaram não apresentar um espaço propício para estudar. Adicionalmente, 20% relataram ter constantes falhas de rede durante o ensino online.

O estudo nacional também avaliou o impacto da pandemia na saúde mental dos universitários. No entanto, os resultados provenientes desse questionário ainda não foram partilhados.