ÁGUA COM SANGUE INVADE RUA DE GAVIÃO

Os moradores da Rua do Souto de Fora, em Vila Nova de Famalicão, queixaram-se hoje do cheiro “nauseabundo” e “cenário horripilante” que frequentemente assola aquela artéria devido ao transbordo de “água com sangue de animal” das tampas de saneamento.

Em declarações à Lusa, o morador António Rodrigues descreveu que “amiúde” sai água “vermelha, com cheiro a sangue e a podre” das tampas de saneamento ali situadas, sendo que os moradores atribuem a presença de sangue na água a uma empresa de carnes situada na freguesia de Gavião.

À Lusa, a autarquia, através do vereador do Ambiente, Pedro Sena, confirmou os episódios de “retorno e transbordo” de água naquela área “devido ao entupimento de canais”, atribuindo o facto ao “mau uso da rede de saneamento doméstico”, uma vez que, segundo explicou, a empresa em causa “funciona dentro das regras” exigidas.

Já segundo o morador a situação “acontece amiúde” e “sai água com sangue, vermelha, das tampas e deixa a rua com um cheiro nauseabundo. Aliado a isso é um cenário horripilante porque os carros a passar atiram água para todo o lado e sujam-se paredes e pessoas”, descreveu o morador.

O autarca Pedro Sena reconheceu que “não é uma situação agradável, como não é qualquer entupimento, embora este como terá sangue seja mais chocante a nível visual”.

Segundo o responsável, “a situação mal foi detetada foi corrigida, em menos de uma hora já estava tudo normalizado”, mas os moradores temem que esteja em causa um problema de saúde pública.

Há sempre questões de risco para a saúde pública numa situação como esta mas o que quero realçar é que tanto a autarquia, como a TRATAVE [empresa responsável pelo tratamento de efluentes industriais em Famalicão] estão a par da situação e a reforçar a fiscalização

Quanto ao motivo que levou ao retorno e transbordo de água, o vereador apontou o uso indevido do saneamento público: “Pode haver vários motivos. Mas há muito mau uso da rede. Encontram-se fraldas, toalhitas, pensos higiénicos, até pedras ou tábuas, coisas que as pessoas insistem em atirar para a rede, que se amontoam e levam ao entupimento”, apontou.

O vereador explicou ainda que “em alguns sítios a rede de saneamento é mista [cruza o uso doméstico e o uso industrial], sendo esse o caso, e é por isso que é possível que os efluentes daquela empresa acabem misturados com o retorno e transbordo da rede doméstica”.

Além do mau uso da rede por parte da população, Pedro Sena admitiu que pode haver “algum problema na própria rede”, pelo que a autarquia famalicense já tomou medidas para “averiguar com exatidão” o que se passa.

Pode haver algo mais complexo e estamos a ver isso. Estamos a fazer filmagens no tubo que entupiu para despistar qualquer problema ou defeito

Pedro Sena fez ainda questão de deixar um pedido à população: “Há que ter bom senso e cuidado no uso da rede de saneamento, ter cuidado com os resíduos que se deita para a rede para se evitar situações como esta, que embora controlada admito que cause transtornos à população”.

Contactada pela Lusa, a TRATAVE, através de um dos seus responsáveis, Rolando Faria, assegurou que a empresa em causa “tem as condições mínimas de descarga” e que “não detetou qualquer anomalia”.

 

Imagem: Cristina Araújo

Comente esta notícia