Na conferência de imprensa, a diretora executiva da EMA (sigla em inglês), Emer Cooke, anunciou que após deliberação do Comité de Avaliação do Risco em Farmacovigilância (PRAC), houve uma “conclusão clara e científica” de que a vacina em causa é “eficaz e segura”, e que os seus “benefícios em proteger as pessoas da covid-19 e dos seus efeitos associados de morte e hospitalização” supera os seus possíveis riscos.

“As pessoas podem confiar na vacina”, assegurou Emer Cooke, reforçando, no entanto, que estes não são casos “inesperados porque se está a vacinar milhões e milhões de pessoas”.