A “bazuca” não chega ao distrito, acusa PSD

A distrital do PSD tomou uma posição sobre o Plano de Recuperação e Resiliência e acusa o governo de esquecer o distrito «A bazuca, ou vitamina, não chega aqui, nem ao norte em geral», critica Paulo Cunha, líder distrital.

«Quando era suposto que o plano servisse para recuperar e dar resiliência ao território apostando nas empresas e infraestruturas, o Norte que é claramente a zona mais produtiva de Portugal – e onde o distrito tem um papel preponderante economicamente – continua a ser secundarizado», aponta Paulo Cunha que convida o primeiro-ministro a repensar a estratégia.

O também presidente da concelhia de Famalicão do PSD diz que há projetos estruturantes na região «que simplesmente foram ignorados; os nossos autarcas, inclusive, já vieram a público lamentar a falta de investimentos».

O Plano de Recuperação e Resiliência «não traz nada de novo para os nossos concelhos e muita pouca novidade para o Norte em geral. Este é um plano sem visão estratégica por estar demasiadamente centrado nas despesas e investimentos do Estado que não foram feitos até agora” e que o Governo vê agora uma oportunidade para tapar o buraco», acusa Paulo Cunha.

O dirigente social democrata conclui que o Plano é uma «oportunidade única», mas nem todo o país «vai beneficiar de igual forma dela, por isso considero que o Governo deveria rever o plano».