30.000 máscaras começam hoje a ser distribuidas pelos bombeiros

Trinta mil máscaras começam hoje a ser distribuidas para responder às necessidades mais urgntes dos corpos de bombeiros na luta contra a pandemia de covid-19, anunciou o Ministério da Administração Interna (MAI).

“Esta vai ser a primeira de várias entregas de equipamentos médicos e de proteção individual que já começaram a chegar a Portugal, os quais são indispensáveis à atuação dos profissionais de saúde e de todos os restantes profissionais empenhados no combate a pandemia covid-19”, escreve o MAI, em comunicado.

O Governo diz ainda que se mantém “fortemente empenhado em garantir a contínua disponibilidade dos meios materiais necessários para fazer face a esta pandemia”.

Na sexta-feira, o presidente da Liga dos Bombeiros Portugueses (LBP queixou-se hoje da falta de equipamento de proteção individual nas corporações, colocando em risco os bombeiros que prestam socorro aos doentes com covid-19.

“Não temos equipamentos de proteção individual (…), corremos riscos para salvar outros que estão em risco”, afirmou aos jornalistas Jaime Marta Soares, após uma audiência com o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, no Palácio de Belém, em Lisboa.

Jaime Marta Soares referiu que “há dois meses e meio” alertou as autoridades para a carência de material de proteção individual nos bombeiros, que têm demonstrado “uma tenacidade muito forte para salvar pessoas”, apesar das “tremendas dificuldades”.

O dirigente da LBP adiantou, sem mencionar números, que há associações de bombeiros sem “nenhum rendimento”, em “falência técnica”, e que se veem na “obrigação de despedir bombeiros”.

Perante o cenário traçado, Jaime Marta Soares assinalou, ainda, que se aproxima o mês de maio, em que, além do pico da pandemia esperado para Portugal, começa a época dos incêndios florestais.

Também a Associação Portuguesa dos Bombeiros Voluntários se queixou, na semana passada, da falta de equipamento de proteção individual (máscaras, luvas…) nas corporações, comprometendo a segurança dos bombeiros e o socorro de doentes com covid-19.