2020 «será um ano de grandes investimentos materiais» em Famalicão

O próximo ano «será um ano de grandes investimentos materiais», que se vão somar «ao forte investimento imaterial previsto para o programa de governança do território, para os projetos de descentralização cultural, para a promoção de uma Educação para Todos, e de Mais e Melhores Anos para os seniores, para além dos projetos e ações sociais de apoio aos mais desfavorecidos», assume o presidente da Câmara Municipal. Do Plano e Orçamento para 2020, Paulo Cunha fala de «opções estratégicas que constituem uma verdadeira alavanca para o futuro do território».

A Educação e Conhecimento é o capítulo maior do documento que Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão aprovou, esta tarde, em reunião extraordinária do executivo municipal. Com um valor global de 111 milhões de euros para gerir, que incluem um encaixe de cerca de 11 milhões de euros em fundos comunitários, associados às obras FEDER aprovadas, no âmbito do Plano de Ação para a Regeneração Urbana, o plano de atividade do próximo ano da autarquia surge com o mote “Promover a Educação de Sucesso para Todos”.

É um Plano ambicioso e arrojado, mas estas são caraterísticas que assentam bem em Famalicão e em cada um dos nossos concidadãos

O documento prevê o desenvolvimento de uma centena de projetos e ações para garantir que a Educação seja o grande fator de coesão social, associado ao tecido empresarial e institucional famalicense. Para o fazer, está reservada uma fatia de 15,5 milhões de euros que serão aplicados em várias ações e programas.

Neste capitulo, cabe a assunção de tarefas que foram do Estado, através do programa Aproximar Educação, e da aposta do município na formação profissional em conjugação de esforços entre agentes educativos locais e o tecido empresarial e social, de que é exemplo o projeto que está a ser desenvolvido no Centro de Investigação, Inovação e Ensino Superior (CIIES), criado pelo município em Vale S. Cosme, nas instalações da antiga escola Didáxis.

Outra das prioridades do próximo ano é a coesão social e a governança do território, através de ações de descentralização cultural, da aposta na autonomia das Juntas de Freguesia e da capacidade de realização das Comissões Sociais Interfreguesias.

A renovação urbana também aparece com destaque. As Grandes Opções do Plano e Orçamento apontam para um investimento histórico que vai dotar o concelho com um novo mercado municipal e um novo espaço cultural, em Riba de Ave. Vai, ainda, arrancar a construção de uma rede de ciclovias intraurbana e será concluída a via ciclável e pedonal, com 10 quilómetros de extensão, no antigo canal ferroviário que ligava Famalicão à Póvoa de Varzim.

Most Popular Topics

Editor Picks